Familiares de garotas desaparecidas são presos ao iniciarem buscas com homem armado

0

Dois familiares das adolescentes Amanda Gomes, 13 anos, e Isabelle Lima, 14 anos, foram presos no Bujari enquanto procuravam pelas garotas na presença de um homem armado na noite de quarta-feira (8).

De acordo com informações do delegado da Polícia Civil responsável pelas investigações, Rêmulo Diniz, os familiares das menores estariam no Bujari após receberem ligação de que as adolescentes teriam sido vistas na frente de uma panificadora na cidade. O grupo de familiares teria ido até o local e lá se encontraram com mais dois homens, onde um deles estava armado com um revólver.

Durante a abordagem da polícia ao veículo em que o grupo estava, entre ele o pai de Amanda, a tia de Isabelle e mais três pessoas, entre elas, um foragido da justiça e um homem em posse de uma arma de fogo. Dois deles conseguiram fugir. Os nomes dos conduzidos foram preservados pela polícia na intenção de manter a integridade dos familiares já que ainda iriam passar por audiência. Eles foram presos e conduzido à delegacia para prestar esclarecimentos.

“Nos ainda não sabemos o que iriam fazer, vamos ainda apurar o que buscavam com essa reunião lá no Bujari. É um cenário que tá ganhando um corpo muito maior, são situações que tão ganhando outros ares e estamos tentando descobrir os porquês. Inclusive a senhora que foi conduzida a delegacia esteve com a gente durante todo o dia de ontem aqui, nos acompanhou pessoalmente nas buscas no bairro Taquari e depois nós tivemos a surpresa de vê-la conduzida à Delegacia de Flagrantes, mas vamos deixar claro aqui que essas pessoas não tem ligação com o desaparecimento dessas meninas. Estamos averiguando a motivação para estarem reunidos, acredito que por motivo de vingança, mas vamos apurar”, disse o delegado Rêmulo Diniz.

Versão da família

Os familiares das adolescentes se defendem e alegam que foram até o Bujari para buscarem imagens das câmeras de segurança da panificadora para ajudar nas buscas das garotas.

“A gente teve uma ligação no telefone da irmã da Amanda. Ligaram pra ela, o cara não ligou restrito, ligou normal se identificando que era o dono de uma panificadora dizendo que tinha uma filmagem que tinha visto as meninas numa parada de ônibus com um rapaz e tinha filmagens. A família da Isabelle foi cedo, passou o dia lá com a polícia e quando foi a tarde chegou um conhecido do meu cunhado, pai da Amanda e disse: vamo lá eu tenho dois colega meu que conhece tudo lá no Bujari vamos dar uma procurada?! Meu cunhado no aperreio foi e chegando lá encontrou os conhecidos do homem entre eles esse que tava armado e ele nem sabia, entraram no carro foram fazer a busca pela cidade foi quando a polícia abordou eles. Meu cunhado não sabia de nada tanto que foi liberado já”, disse a tia de Amanda que pediu para não ser identificada.

Comentários

comentários