Sob o risco de epidemia de dengue, prefeito de Feijó decreta “Situação de Emergência” na cidade

0

O aumento do número de casos de dengue nas cidades do interior do Estado tem causado grande preocupação nos gestores públicos. Por conta do aumento dos focos do mosquito Aedes Aegypti, o prefeito da cidade de Feijó decretou “Situação de Emergência” na cidade. A situação já vinha sendo alertada pelos deputados estaduais na Assembleia Legislativa do Estado Acre (Aleac).

Com o decreto de “emergência, a prefeitura pretender “intensificar a Campanha de Combate e Prevenção à Dengue, Chikungunya e Zica vírus na defesa da vida e do bem estar da coletividade”.

Segundo consta no Decreto Nº 158 são muito altos os riscos a que a população do Município de Feijó está sujeita e é iminente a possibilidade de agravamento do número de infectados com Dengue, Chikungunya e Zica vírus.

Por conta disso, foi decretada “situação excepcional de emergência na saúde pública de Feijó, para execução de ações necessárias ao combate da proliferação do mosquito Aedes Aegypti e para intensificação da Campanha Municipal de Combate e Prevenção à Dengue, durante 90 dias”. A medida pode ser prorrogada por igual período

Com o decreto, os servidores municipais designados poderão atuar no horário de 08h00 às 17h00, devidamente identificados e acompanhados de autoridade policial, nas casas fechadas e/ ou abandonadas e logradouros particulares.

Além disso, as Secretarias Municipais envolvidas poderão fazer a contratação temporária de pessoal por 90 dias

Durante a vigência do Decreto, a prefeitura poderá adquirir bens e contratar obras e serviços sem licitação, desde os contratos possam ser concluídos no prazo máximo de 90 dias.

Comentários

comentários