Os vereadores de Rio Branco, pela segunda vez consecutiva, dispararam duras críticas a dois parlamentares da Assembleia Legislativa do Acre (Aleac) por conta de posicionamentos isolados referentes ao sistema de transporte público da capital bem como de estarem preparados ou não para legislar. Hoje (17), os vereadores não contiveram as emoções e voltaram a repudiar o comportamento dos deputados Eber Machado (PSDC) e Jonas Lima (PT).

Ao usar da palavra, o vereador Antônio Morais (PT) relatou que em conversa com o Jonas Lima, ressalvou que existem vereadores capacitados para legislar e que se espera do petista um pedido de desculpas por declarações que possam findar em crise institucional.

Ao pedir uma parte, o vereador Mamed Dankar, do PT, aproveitou para repudiar o deputado Eber Machado que durante sessão na Aleac teria posto em cheque o poder dos vereadores sobre a tarifa de transporte público e sem consultar a Lei em voga. Dankar ironizou ao dizer que a “Assembleia Legislativa parece que está sem pauta. Nós compreendemos”.

Ele também direcionou o seu comentário a Eber Machado e questionou onde estaria o deputado quando a Aleac votou o projeto da terceirização. Dankar pediu uma justificativa plausível pela ausência de Machado neste processo e afirmou que a Câmara vem desempenhando um papel importante na sociedade.

“Aqui, nesta casa, nós sempre estamos presentes. Não nos omitimos em votações assim como o deputado Eber Machado fez no projeto da terceirização lá Assembleia Legislativa. O que ele vai debater com os vereadores, se quase não participa das deliberações da Aleac? É bom que cada um se incomode com o que compete e cabe. A câmara está trabalhando e parece que a Assembleia não tem pauta”, disparou Dankar.

Sobre o comportamento de Eber Machado, Antônio Morais apontou que as questões do transporte público só entraram na pauta do parlamentar às vésperas da eleição. “Acho que ele foi infeliz quando afirma que os vereadores estão fugindo do tema. Estou nessa casa há seis anos e a primeira vez que ouço o deputado falar em transporte coletivo de Rio Bracno. É muito fácil falar em transporte quando a eleição se aproxima”, comentou.

Já Rodrigo Forneck, também do PT, argumentou que a Câmara de Rio Branco possui lado, tem posicionamento sobre temas polêmicos que nem mesmo lá em Brasília os deputados federais tomaram a iniciativa em debater. Rodrigo findou sua participação por aponta que o “o poder mirim possui competência e respaldo”.

Comentários

comentários