Quadrilha presa pela PF era braço forte do CV, PCC e B13; líderes serão transferidos para fora do Acre

0

A Polícia Federal (PF) no Acre aprensentou na manhã desta quarta-feira (13) o resultado da Operação Alvorecer, que teve com objetivo desarticular uma quadrilha de traficantes que atuavam nos estados do Acre, Alagoas e Rio Grande do Norte. O grupo chegou a movimentar cerca de R$ 20 milhões oriundos do tráfico de drogas e lavagem de dinheiro.

Os delegados responsáveis pelas investigações, prisões dos envolvidos e apreensão do entorpecente concederam coletiva de imprensa para fala sobre a operação.

O delegado regional de combate ao crime organizado, Warley Dias Ribeiros, explicou como se deu as investigações e afirmou que mandados de prisões estão sendo cumpridos nos 3 estados envolvidos na operação.

“A PF deflagrou em três estados a Operação Alvorecer e estão sendo cumpridos 13 mandados de prisão preventiva, 19 mandados de busca e apreensão e 49 de sequestros e bloqueio de bens. É uma organização criminosa especializada no tráfico de drogas e lavagem de dinheiro. Foram disponibilizados mais de 100 policiais para atuar na operação. Esse grupo movimentou mais de R$ 20 milhões somente em uma fase”, diz.

Droga era transportada em carretas e caminhões de gado

O delegado da PF responsável pelas investigações, Fares Feghali, afirmou que a Operação Alvorecer realizou um dos maiores trabalhos de combate ao tráfico da região Norte. A maioria das 13 prisões foram ocorridas no Acre, onde sediava o “núcleo duro” da organização.

“Tendo em vista o tempo de crime dos suspeitos hoje presos corresponde a um dos mais importantes trabalhos de repressão e combate ao tráfico de drogas e lavagem de dinheiro nos últimos tempos em toda a região. Foram apreendidos mais de 53 veículos de luxo. A PF conseguiu asfixiar o poderio financeiro da organização criminosa. Com os presos que temos na data de hoje, com a apreensão do entorpecentes e bens, afirmo que conseguimos por fim a este este grupo criminoso”.

Feghali afirmou, ainda, que os membros da organização criminosa não pertencem às facções Comando Vermelho (CV) e Primeiro Comando da Capital (PCC), mas possuem fortes alianças com as facções citadas.

“Esses presos hoje não pertencem as facções criminosas Comando Vermelho e PCC, mas possuíam alianças com membros do CV, PCC e Bonde dos 13 e funcionava como braço para essas facções criminosas”, disse o delegado.

Ainda de acordo com o delegado, líderes da organização criminosas presos no Acre e demais estados serão transferidos para presídio de segurança máxima.

“A PF solicitou e a Justiça autorizou a transferência dos presos para presídio de segurança máxima, onde acreditamos que cessarão as atividades criminosas. Um dos líderes da quadrilha foi presa no Acre e será transferido para fora do estado”.

Comentários

comentários