Mais um acreano cai no golpe da venda fácil na internet: “Me sinto lesado”

0

Mais um acreano caiu nas armadilhas da ‘venda fácil’ das lojas virtuais. O jovem Kleumar Lopez, ao tentar adquirir um celular de última geração, numa suposta loja de eletrônicos e importados, foi enganado e como punição dores de cabeça. A negociação ocorreu na última terça-feira (11) e até essa sexta-feira (14) o chefe de cozinha tenta reverter o prejuízo.

Na manhã dessa sexta-feira (14) o rapaz compareceu na delegacia para registrar um Boletim de Ocorrência (BO) em desfavor de uma suposta loja que venderia a ele um aparelho. Um suposto vendedor ofereceu facilidade e comodidade de pagamento para que o jovem aceitasse o negócio, no entanto, Kleumar não sabia que seria vítima de mais um golpe e faria parte da estatística que mais cresce no Acre.

A loja em questão apresentou CNPJ de um estabelecimento sediado em São Paulo, um endereço eletrônico que atualmente está fora do ar, um perfil bastante seguido no Facebook e diversos comentários favoráveis de compradores satisfeitos. Para dar impressão de um negócio ainda mais sério, o suposto vendedor enviou dados de uma conta bancária para efetuar uma entrada em dinheiro tendo em vista que o restante seria parcelado e a foto de uma Carteira Nacional da Habilitação (CNH).

“Um vendedor se passou como representante de vendas, onde oferece facilidades na hora da compra, e eu aceitei. Dei uma entrada, feita por transferência bancária, e depois o vendedor simplesmente me bloqueou. Fui na página deles, no Facebook, denunciei o caso, eles me bloquearam e excluíram minha reclamação. Muita gente que viu, também denunciou. Fui enganado e lesado”, comentou ele que vem fazendo uma verdadeira campanha nos grupos de vendas do Acre alertando os internautas sobre o golpe.

Além de recorrer à polícia e ao Procon, Kleumar também entrou em contato com advogado e especialista em direito do consumidor, Celso Russomanno, referência no país por resolver casos principalmente de compra pela internet que acabaram em prejuízos.

“Nunca faça nenhum depósito antes de receber o produto, esse é o principal conselho que dou. Hoje fui vítima, amanhã pode ser você. Às vezes a gente cai nesses golpes por contada da necessidade ou da falta de atenção. As propostas são irrecusaveis e as facilidades também, tudo maneira de enganar. Precisamos redobrar ainda mais atenção!”, finalizou.

Comentários

comentários