De Rodão a Kekel Toddynho: no Acre, candidatos apostam em nomes “criativos” nas eleições

0

Seguindo a tradição, os candidatos apostam na criatividade em seus nomes políticos para tentar chamar atenção dos eleitores acreanos e ter êxito no dia 07 de outubro. Nessa eleição, tal prática não poderia ser diferente. Por isso, a Folha do Acre, selecionou alguns nomes curiosos e exóticos que tentam postular uma das 24 vagas na Assembleia Legislativa (ALEAC).

Vale lembrar que muitos adotam apelidos diferentes para se destacarem entre os postulantes, aparecem com características fisionômicas, trabalhistas e da localidade onde vivem. Uma verdadeira jogada de marketing. Por isso, a nossa redação saiu novamente em campo e pesquisou no site do TSE (DivulgaCand 2018) essas candidatos.

Na busca, encontramos o “Rodão, Bacural, Bereba, Buiu, Cachorrão, Candiru, Chico Doido, Folhinha, Gato Félix, João da Onça, Kekel Toddynho e até Tampinha Bittar”.

Os nomes de bairros e localidades também estão presentes, o que comprova a alcunha de “Adir Gaucho, Branco do Calafate, Carlinhos da BR, Dedé da Baixada, Dir Paraguai, Dora do Eldorado, Manoel da Baixada, Jeferson Cidade do Povo, Negão da Baixada, Roberto do Esperança e Ruitinho do Balneário”.

As profissões são fáceis de serem encontradas e servem como “referência” para o eleitor, ao passo que os candidatos aproveitam até propagandas dos seus trabalhos seculares ou entidades públicas para suas promoções.

“Ceará Carne de Sol, Padeiro, Albino da Saúde, Alexandre da Farmácia, André da Droga Vale, Antonia do Lanche, Aurélio da Farmácia, Auder Quase Tudo, Bombeiro Brito, Júlico Caçambeiro, Davi do Pão Caseiro, Frank do Bingão, Lora do Comércio, Lora Vendedora, Maik da Ufac, Marcelo Locutor, Nazaré do Tacacá e Radialista Nonato Gomes”, são alguns dos nomes encontrados.

Não podemos deixar de citar também que as Marias, os Josés, os Antônios, diferenciados por sobrenomes também marcam presença no pleito. Com tantos ‘xarás’, a maioria aposta nos apelidos para não confundirem a cabeça do eleitor. De qualquer forma, o eleitorado precisa conhecer o candidato além do nome, verificar suas propostas e saber o partido que pertence.

Comentários

comentários