quarta-feira, julho 28, 2021
25.3 C
Rio Branco
quarta-feira 28 julho 2021

Um mês após assassinato de ex-prefeito Gedeon, ninguém foi preso no Acre

POR

Polícia Civil pediu quebra de sigilo bancário e telefônico de investigados; Justiça tem 15 dias para responder sobre a solicitação. Gedeon Barros foi morto no dia 20 de maio.

Um mês depois da morte do ex-prefeito de Plácido de Castro, Gedeon Sousa Barros, de 52 anos, ninguém foi preso pelo crime. A Polícia Civil pediu à Justiça do Acre a quebra do sigilo bancário e telefônico de alguns investigados no assassinato ocorrido dia 20 de maio, na saída de Rio Branco.

A informação foi confirmada ao G1 nesta segunda-feira (21) pela assessoria de comunicação da Polícia Civil. A Justiça tem 15 dias para responder a solicitação.

Ainda segundo a assessoria, a polícia aguarda um pronunciamos da Justiça para chegar aos suspeitos. Com a liberação, a polícia vai ter acesso aos dados dos investigados e descobrir quem podia estar ameaçando e quem matou o ex-prefeito.

Sem prisões

Gedeon Barros foi assassinado na manhã do dia 20 de maio, no bairro Santa Inês, no Segundo Distrito de Rio Branco. Dois homens chegaram em uma moto e executaram o ex-gestor, fugindo em seguida para o bairro Belo Jardim, onde se concentraram as buscas da polícia.

Barros estava dentro do carro e foi atingido com disparos de arma de fogo na cabeça. A esposa do ex-prefeito prestou depoimento na Delegacia de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) no mesmo dia que o marido foi morto.

No dia 31 de maio, o delegado responsável pelo caso, Marcus Cabral, da Delegacia de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP), revelou que tinha ouvido oito pessoas sobre o crime até aquele momento. As investigações do caso seguem em segredo de Justiça.

G1

COLUNISTAS

128 POSTS0 COMENTÁRIOS
38 POSTS0 COMENTÁRIOS
4 POSTS0 COMENTÁRIOS
2 POSTS0 COMENTÁRIOS
- Advertisement -spot_img