Connect with us

Rio Branco, Acre,

 

Útilmas notícias

Sobe para 4 o número de policiais penais com coronavírus no Acre, diz Iapen

Redação Folha do Acre

Publicado

on

Servidores fazem parte da equipe do Complexo Penitenciário de Rio Branco. Outros 34 policiais penais foram afastados e devem passar por testes rápidos.

Mais dois policiais penais testaram positivo para Covid-19 na cidade de Rio Branco e o número de agentes infectados subiu para quatro. A informação foi confirmada, nesta segunda-feira (13), pelo Instituto de Administração Penitenciária do Acre (Iapen-AC) por meio de nota.

A Secretaria de Estado de Saúde do Acre (Sesacre) ainda vai incluir o dado no boletim que deve ser divulgado ainda nesta segunda.

Entre os dois novos profissionais com a doença confirmada estão um policial de 38 anos, que cumpriu o último plantão no presídio no último dia 2 de abril e outro de 34 anos, que teve o último serviço na segunda-feira (6).

O primeiro caso é de um policial de 31 anos que foi confirmado na quinta-feira (9), já o segundo foi um policial de 32 anos.

Todos os servidores fazem parte da equipe do Complexo Penitenciário Francisco D’ Oliveira Conde, em Rio Branco, e já foram afastados do serviço. Os dois novos casos fazem parte dos cinco profissionais que foram afastados e passaram por exames após a confirmação do primeiro caso.

Dos cinco afastados inicialmente, três testaram positivos para a doença e os outros dois ainda aguardam resultado do exame.

Outros 34 policiais penais que tiveram contato com os dois primeiros casos confirmados de Covid-19 foram afastados temporariamente e devem passar por testes rápidos. Segundo o Iapen, nenhum dos 34 apresentaram sintomas até esta segunda (13).

“Como nos outros casos, além do acompanhamento realizado pela Secretaria de Estado de Saúde do Acre (Sesacre), os servidores recebem o acolhimento dos profissionais do Núcleo de Apoio ao Servidor Penitenciário (Nasp), o qual presta o devido auxílio aos policiais e familiares”, afirmou o Iapen em nota.

O instituto informou ainda que tenta identificar os demais servidores que tiveram contato com os policiais contaminados para que sejam feitas as devidas orientações.

“Aos servidores, o Iapen esclarece que aqueles que tiveram contato com os policiais penais notificados serão devidamente avisados e orientados, visando resguardar a saúde de todos”, concluiu a nota.

MP orienta o Iapen

Diante do primeiro caso confirmado, o Ministério Público do Acre (MP-AC) emitiu uma série de recomendações ao Iapen para evitar o avanço da doença no sistema prisional do estado.

O promotor de Justiça Tales Tranin, da 4ª Promotoria Criminal do MP, informou que a preocupação é por conta do sistema penitenciário ser local propício para proliferação do vírus.

“Se trata de um lugar úmido, sem ventilação, com aglomeração de pessoas e que elas têm baixíssima imunidade. São vários com tuberculose, asma, diabete. Então, a entrada do vírus é muito preocupante. Tem que ser feito agora um pente fino dentro do presídio para saber onde esses policiais penais trabalharam, em quais pavilhões e fazer os exames para saber se foi passado esse vírus”, afirmou Tranin.

Entre as medidas recomendadas pelo MP estão que os detentos sejam vacinados contra H1N1. Além disso, que sejam colocados no banho de sol por um período maior que duas horas e que tenham acesso irrestrito a água e produtos de higiene pessoal.

“Os alimentos que são fornecidos pelos familiares que também passem por higienização. Além do cuidado dos policiais penais que estão aqui fora e vão trabalhar na unidade. Então, tem o risco de levar o vírus, o que aconteceu já”, disse o promotor.

Sobre as orientações, o diretor do Iapen, Arlenilson Cunha, afirmou que tem tomado algumas medidas com relação à pandemia e citou as portarias que suspendem as atividades de trabalho e estudo, além das visitas dentro das unidades. Segundo ele, o efetivo dos servidores também foi reduzido em 20%.

O documento orienta que a limpeza seja intensificada nos ambientes, além da manutenção da circulação de ar, o não compartilhamento de objetos pessoais como talheres, copos, escova de dente, barbeador, colchões, vestuários.

O órgão recomenda que o Iapen separe os públicos de risco dentro de cada unidade. No caso das pessoas acima de 60 anos, pessoas com doenças crônicas ou respiratórias, pessoas com obesidade, grávidas e puérperas.

Que isole imediatamente as pessoas com suspeita ou confirmação da infecção pelo vírus, encaminhando para atendimento em serviço de saúde. Outra recomendação é que seja feito o mapeamento e notificação dos casos suspeitos.

O fornecimento dos equipamentos de proteção individual aos servidores penitenciários é outra orientação ao órgão.

G1

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Facebook

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Mais Lidas