Indicações de Coelho e Osmir Lima para assessores especiais causa briga em grupo de Gladson

0

Assessores especiais de que mesmo?

Tão logo começou as ser ventilado os nomes dos assessores especiais de Gladson Cameli o descontentamento começou a reinar dentro do grupo. Muita gente querendo os cargos privilegiados com salários de quase R$20 mil e função desconhecida. Até hoje não se sabe o que faz um assessor especial. É uma espécie de aspone, assessor de p…nenhuma.

Coelho e Osmir

A indicação do professor Carlos Coelho e Osmir Lima causou indignação em algumas pessoas do grupo que foi oposição por 20 anos.

Renan Biths

Um outro nome que está sendo ventilado pelos corredores da política como possível nomeação para assessoria especial é Renan Biths, ex-diretor de Planejamento e Gestão Estratégica da Secretaria de Segurança Pública no governo Tião Viana.

Os novos Monteiros, Gilvandros e Cariocas

A respeito dos cargos de assessores especiais é bom lembrar que serão 10 cargos com salários de R$ 19 mil. Os cargos atualmente são ocupados por figuras constantemente criticadas pela sociedade acreana como Antônio Monteiro, Gilvandro Assis, Carioca e Werverton Mathias.

Descontentamento

O grupo que apoiou Gladson, que passou duas décadas fazendo dura oposição ao PT e vivendo à base de pão e água, está indignado por indicações de pessoas que até recentemente estavam ligadas à Frente Popular, grupo liderado pelos petistas, como é o caso do professor Carlos Coelho e Osmir Lima.

Osmir Lima

Osmir Lima, aliás, chegou a ser nomeado para esta mesma função de assessor especial. A respeito de Osmir não se pode negar que é um dos quadros políticos mais preparados do Acre.

Coelho

Coelho é ligado ao grupo de Petecão, extremamente qualificado do ponto de vista intelectual, mas pesa contra ele ligação com algumas lideranças da Frente Popular.

Gladson Cameli

O governador eleito, Gladson Cameli, conversou com esta colunista e negou a indicação de Renan Biths, a quem afirmou nem conhecer. A respeito de Coelho e Osmir, o governador afirmou que o primeiro irá trabalhar na articulação política e o segundo foi fundamental para o grupo quando começaram a montar a chapa.

Bom nome

Foi suave a indicação do jornalista Rogério Venceslau para ser porta-voz do governo Gladson Cameli. Humilde e com bom trânsito com os colegas, Venceslau tem tudo para estabelecer uma boa relação com a imprensa.

Petecão

O senador Sérgio Petecão (PSD) esbravejou que abandonaria o grupo de Gladson se perdesse a indicação para a Secretaria de Agricultura, mas resolveu reconsiderar após perceber que já estava tudo decidido.

Equilibrado

De forma equilibrada e adulta, como um senador de mais de 240 mil votos e que representa um partido orgânico e coeso, Petecão reconsiderou a relação com Cameli e está disposto a contribuir.

Bom dia a todos

Comentários

comentários