terça-feira, maio 17, 2022
19.3 C
Rio Branco
terça-feira 17 maio 2022

Menino de 7 anos vai à delegacia pedir socorro ao ver mãe sendo espancada pelo pai

POR Redação

Médico Cássio Patrick Barbosa foi preso no sábado (23) por violência doméstica no município de Acrelândia, interior do Acre. Agressões foram presenciadas pelo filho de 7 anos do casal, que pediu ajuda à polícia. Homem é investigado ainda por dar bebida alcoólica ao filho.

Um menino de 7 anos buscou ajuda na delegacia de Acrelândia, interior do Acre, ao ver a mãe sendo agredida pelo pai, o médico Cássio Patrick Barbosa, de 40 anos. O médico foi preso em flagrante pela Polícia Militar no último sábado (23) após as agressões.

A advogada do médico, Renata Peixoto, disse que o cliente se declara inocente. “O acusado se declara inocente e, em que pese a decretação da prisão preventiva, a defesa irá adotar todas as medidas judicias cabíveis a fim de comprovar a inocência do Sr. Cássio Patrick Barbosa.”

Essa foi a segunda vez, em menos de cinco meses, que o médico é flagranteado por violência doméstica. Além desses processos, o profissional já teria sido investigado por outros crimes.

O médico chegou a passar por audiência de custódia nesta segunda-feira (25) e a Justiça optou por manter a prisão preventiva.

Ao g1, o delegado responsável pelo caso, Dione dos Anjos, disse que a criança saiu chorando na rua desesperada, após presenciar as agressões, e populares a levaram até a delegacia. A equipe plantonista pediu ajuda à Polícia Militar, que mandou uma guarnição até a residência do casal.

“Encontraram a vítima com pouca roupa na rua, enrolada em uma toalha, ele veio também atrás, alterado, totalmente descontrolado e acabou sendo detido pela Polícia Militar. Foi feito o procedimento por violência doméstica, pedido medida protetiva e também por colocar em risco à vida da criança”, explicou.

O delegado falou ainda que recebeu uma denúncia de que o médico dava bebida alcoólica para o filho do casal. “Ele [criança] correu para a delegacia dizendo que o pai estava matando a mãe dele. Os outros filhos são adultos e não são [fruto] desse casamento”, complementou.

Em junho de 2021 a Prefeitura de Acrelândia designou o profissional para atender a população na Unidade Básica de Saúde (UBS) João Damasceno. A Secretaria de Saúde do município afirmou que o profissional foi contratado para atuar como clínico geral e ocupar uma vaga do Programa Mais Médicos na unidade.

Além desse contrato, Barbosa também atende pacientes na Unidade Mista de Acrelândia.

“A gente é contra esse tipo de atitude, não nos posicionamos a favor, mas sim a favor da Justiça, do que é certo. Não podemos dizer nada no momento porque precisamos oficializar ao Ministério da Saúde e estamos aguardando um documento da Justiça. Vou procurar a delegacia para entender a situação”, explicou o secretário de saúde, Vitor Martineli.

Crises de ciúmes

Ainda segundo a polícia, essa é a terceira vez que a vítima é agredida pelo médico. Nos outros episódios, conforme o delegado, a mulher perdoou e aceitou o companheiro de volta.

“A mãe e o pai dela são casados há muitos anos e tinha esse sonho, então, perdoou, voltou e acabou passando por isso”, lamentou Anjos.

As agressões são motivadas por ciúmes, de acordo com o delegado. “É um ciúme absurdo”, concluiu.

O Conselho Regional de Medicina (CRM-AC) informou que o ato não foi praticado no exercício da profissão e, portanto, não vai se manifestar sobre o caso.

G1

COLUNISTAS

128 POSTS0 COMENTÁRIOS
38 POSTS0 COMENTÁRIOS
4 POSTS0 COMENTÁRIOS
2 POSTS0 COMENTÁRIOS
- Advertisement -spot_img