20 junho 2024

Apenas 38% dos rio-branquenses têm carteira assinada, revela pesquisa

Redação Folha do Acre

Date:

Ao menos 63% da população de Rio Branco tem trabalho fixo, segundo dados divulgados por pesquisa, realizada no último dia 20, da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Acre (Fecomércio-AC), por meio do Instituto Fecomércio de Pesquisas Empresariais do Acre. Ainda segundo o estudo, uma parcela de 24% afirma não trabalhar; 7,7% se dizem aposentados e; 5,3%, assumiram que são trabalhadores informais.

A pesquisa avaliou 208 pessoas, economicamente ativas e, da população com emprego fixo, 38,2% têm carteira assinada, contra 61,8%, sem carteira assinada.

Da população desempregada, 55,7% afirmaram que não procuram emprego; outra parcela, de 22,6%, reiterou que procura emprego (6,1% há menos de um ano e 16,5% há mais de um ano); 7,8% explicaram ser trabalhadores aposentados e; 13,9%, trabalham informalmente.

Quanto ao tempo de desemprego no mercado de Rio Branco, 36,6% disseram não se lembrar; 32,3% dizem estar sem emprego há mais de dois anos; 1,5%, há menos de um ano e; 9,7%, há menos de dois anos.

Ainda conforme a pesquisa,7,7% da população empregada trocou de emprego nos últimos 12 meses, e a grande maioria (76,9%) permaneceu com o mesmo emprego; enquanto 15,4% estão desempregadas há mais de 12 meses.

Quanto à distância da casa ao local de trabalho, 41,3% dos entrevistados dizem ser grande o percurso entre a residência e o local de trabalho; enquanto outra parcela, de 17,3%, considera pequena a distância. Para mais 8,2%, esta distância pode ser avaliada como “regular” e; 5,8% afirmaram trabalhar em locais diversos. A pesquisa aponta também 27,4% responderam, neste tópico, que não trabalham.

Dos meios para deslocamentos da residência ao local de trabalho, 38,5% da população utilizam o transporte coletivo, enquanto 14,4% utilizam motocicletas e 10,1%% fazem o percurso a pé. Outros 7,7% utilizam carro próprio e 4,3%, bicicletas. A pesquisa destaca ainda 25% que não trabalham.

No que diz respeito aos segmentos econômicos de trabalho em Rio Branco, 29,3% da população respondeu ser da área de serviços; enquanto 26%, do comércio. Mais 13,5% informaram ser serviço público e; 3,8%, do agronegócio. Apenas 1% disse trabalhar no segmento industrial e; 0,5%, no turismo. A pesquisa destacou ainda, 26% dos entrevistados sem empregos fixos.

Quanto à satisfação da população empregada com o ganho mensal, para 55,8% dos entrevistados, os ganhos mensais são insuficientes para as necessidades normais, enquanto 29,8% se mostram satisfeitos. Para outra parcela, de 11,1%, o ganho mensal às vezes atende a demanda mensal e 3,4% se dizem sem renda.

1. DAS PESSOAS ENTREVISTADAS:

1.1. Gênero:

a) Feminino (53,8%);

b) Masculino (46,2%).

 

1.2. Faixa etária:

63,9% das pessoas da população entrevistada são da faixa etária de 16 a 44 anos, sendo 16,24% com idades entre 16 a 24 anos, 23,6% de 25 a 34 anos e 26,4% entre 35 a 44 anos. Acima de 44 anos têm-se 36,0%, sendo 21,6% entre 45 a 59 anos e 14,4% com 60 anos ou mais.

1.3. Escolaridade:

Com relação à escolaridade, 54,8% dos entrevistados têm níveis concluídos, no ensino fundamental (9,1%), ensino médio (37,5%), ensino superior (7,7%) e pós-graduação (0,5%). Em contrapartida, 45,2% informam escolaridade incompleta, no ensino fundamental (22,6%), no ensino médio (15,4%) e no ensino superior (7,2%).

1.4. Renda média mensal:

68,8% dos entrevistados têm renda média de até R$1.412,00/mês, 22,1% entre R$1.413,00 a R$2.824,00 e 8,7% de R$2.825,00 a R$7.070,00 e 0,5%, acima de R$7.071,00/mês.

2. Quantidade de pessoas que habitam a mesma casa.

O estudo mostra que 23,6% das moradias de Rio Branco são ocupadas por 02 pessoas e 21,2% por 03 pessoas. Também é destacada por 23,1% a ocupação de residência por 04 pessoas e 21,1% por 05 (10,1%) ou mais de 05 (11,5%). Tem mais 10,6% que informam 01 pessoa na moradia.

3. Pessoas de uma mesma casa que contribuem para as despesas domésticas.

• 43,3% dos entrevistados mantêm isoladamente as despesas da casa;

• 41,3% mantêm as despesas da casa com mais outra pessoa;

• 10,1% mantêm as despesas da casa com mais 02 pessoas;

• 1,9% mantêm as despesas da casa com mais 03 pessoas

• 3,4% mantêm as despesas da casa com outras 05 ou mais pessoas.

4. Pessoas de uma mesma casa que recebem algum benefício social:

Conforme a pesquisa, 38,5% dos entrevistados admitem morar em sua residência, pessoas recebedoras de benefícios sociais. Outros 61,5% não informam a respeito.

Das pessoas com benefícios sociais, 88,1% são recebedores do bolsa família, 6,0% dos benefícios de prestação continuada, 2,4% auxílio doença e 1,2% benefício para pessoas com deficiência.

Últimas