23 julho 2024

Reintegração de posse: 70 famílias são retiradas de comunidade rural em Acrelândia

Redação Folha do Acre

Date:

Moradores do Seringal Porto Luiz, Comunidade Granadinha, zona rural de Acrelândia, interior do Acre, começaram a ser retirados do local nesta terça-feira (5) durante o cumprimento de reintegração de posse. Logo no início da manhã, 180 policiais militares e oficiais de Justiça chegaram no local para cumprir o mandado judicial.

A reintegração de posse em favor de três fazendeiros foi expedida pelo juiz substituto Guilherme Muniz de Freitas Miotto, da comarca de Acrelândia.

No local viviam 70 famílias, que totalizavam 167 pessoas, há pelo menos dois anos. Equipes da Secretaria de Acrelândia e do Estado de Assistência Social acompanharam a ação.

Segundo os moradores, toda a área, de aproximadamente 4.700 hectares de floresta nativa, pertence à União. O advogado Fabiano Passos, que representa os moradores, disse que em 2004 o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) criou um projeto de assentamento no local.

Contudo, em 2021, o projeto de assentamento foi desfeito sem justificativas. “Em 2004, o Incra implantou o assentamento Porto Luis II. Era para, originalmente, assentar 190 famílias e hoje, essas famílias que estão desocupando, querem utilizar essa área para poder morar e produzir. Em 2021, o Incra, não sabemos o porquê, cancelou esse assentamento”, acrescentou.

O advogado destacou todo investimento em plantações feito pelos produtores, o que fez do local uma das áreas mais produtivas do município. “Essa comunidade está pleiteando aquilo que era de direito lá atrás, só querem ter um pedaço de terra para plantar, produzir. Essa é uma das áreas mais produtivas de Acrelândia, aqui tem mais de 300 mil pés de banana plantada, tem macaxeira, diversos alimentos”, afirmou.

A reportagem entrou em contato com o Incra e aguarda retorno.

Informações G1

Últimas