12 julho 2024

No AC, presidente da CPI das ONGs pede exoneração de Marina Silva “para desenvolver o Norte”

Por Wanglézio Braga, do Acre News

Date:

Em entrevista exclusiva do AcreNews, concedida nesta sexta-feira (20), o presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das ONGs, senador Plínio Valério (PSDB-AM) pediu categoricamente a demissão da atual ministra do Meio Ambiente, Marina Silva (REDE) para que o norte “possa desenvolver e as coisas possam fluir”.

“Nós vamos discutir uma coisa que nos é de direito. Mas, enquanto a Marina Silva estiver mandando no Meio Ambiente, na política ambiental do Brasil, a coisa não vai andar. Enquanto as ONGs estiverem mandando na Marina Silva, vai ser muito difícil andar! Por exemplo, se a BR-319 estivesse pavimentada as comunidades que estão enfrentando a seca não sofreriam tanto. Se ela tivesse liberado ainda quando foi ministra pela primeira vez, hoje estaríamos transitando na BR-319 interligando Manaus a Porto Velho”, disparou.

Sobre essa temática, nossa reportagem perguntou ao senador se o atual governo do presidente Lula (PT), se conseguiria tirar do papel o projeto de pavimentação asfáltica da estrada e a resposta foi pontual: “Não vai conseguir! A gente só vai conseguir quando dermos motivos para que o Lula demita de uma vez a Marina Silva. Porque a Marina atrapalha o Lula. A nossa grande saída seria a demissão dela, tirá-la do nosso caminho. Não é ela a fortaleza, é quem paga ela para fazer esses discursos de meio ambiente”.

NA RESEX

Plínio acompanhado do senador Márcio Bittar (UB-AC), Jaime Bagattoli (PL-RO) e Styvenson Valentim (Podemos-RN) fizeram uma visita nas comunidades que habitam a Reserva Extrativista Chico Mendes entre Epitaciolândia e Xapuri. Na ocasião, ele ouviu dos extrativistas reclamações e denúncias de abuso de poder supostamente promovidas por entidades de fiscalização ambiental.

Plínio defendeu que o Senado Federal deve tomar providências imediatas principalmente com o também pedido de exoneração de representantes do ICMBIO e do IBAMA. “Nós vamos pedir isso porque é a alternativa mais rápida que podemos tomar pois não vamos esperar o final da CPI que ocorre apenas em dezembro. Até lá essas pessoas vão continuar sofrendo (….) O que ouvimos aqui e desumano e daquele jeito não pode continuar”, frisou.

Últimas