23 junho 2024

Membros do PCC são presos na Bolívia e deportados; um foi ferido por pistoleiros em Santa Cruz

Redação Folha do Acre

Date:

Três cidadãos brasileiros foram expulsos do país, no âmbito dos compromissos internacionais na luta contra o crime, informou o ministro do Governo, Eduardo Del Castillo, através das suas redes sociais.

Os três brasileiros que possuem mandados de prisão no Brasil são: Wenerson Pereida da Coceição, Eduardo De Oliveira Silva e Edson Ferreira de Medeiros.

Segundo relatos policiais, os três integram o Primeiro Comando da Capital (PCC), tem acusações no Brasil por tráfico internacional de drogas, roubos e organização criminosa.

Wenerson Pereira Da Conceição foi baleado no pé direito na noite de ontem sexta-feira, 7, quando estava em um campo esportivo na zona norte da cidade. Segundo a Polícia, acredita-se que tenha sido um aviso, por não ter enviado a tempo um carregamento de droga para o Brasil, no valor de mais de meio milhão de dólares.

O homem morava no país com identidade falsa e, após cruzamento de informações com a Polícia Brasileira, ficou claro que ele era procurado no Brasil, os mesmos já estavam morando na Bolívia a quase um ano. Os outros dois brasileiros foram presos posteriormente.

“Os três já foram entregues à Polícia Federal do Brasil (na fronteira com a Bolívia) para que respondam à justiça”, escreveu Del Castillo.

Coronal Holguín informou que os presos estavam com documentos falsos, um deles se apresentou como, Osam Ignácio Pereira, com as investigações descobriu que na verdade, que era, Edson Ferreira de Medeiros, o mesmo tem uma longa ficha criminal no Brasil, a maioria das acusações são relacionadas ao tráfico de drogas.

Ainda segundo coronel Erick Holguín, o ataque dos pistoleiros contra Ferreira, cometido fora do campo de futebol por dois criminosos em uma motocicleta, o outro, em um veículo, foi motivado por uma dívida que ele tinha por não cumprir a entrega de uma carga de drogas, avaliada em 600 mil dólares. A remessa deveria ser enviada da Bolívia para o Brasil, o que não se cumpriu, segundo as investigações.

Coronal Holguín, destacou que os pistoleiros se limitaram a ferir um dos brasileiro em uma das pernas, como advertência, porque se quisessem eliminá-lo teria sido fácil para os atiradores atirar em outra parte de seu corpo.

Informações O Alto Acre

Últimas