20 junho 2024

Oito empresas vão construir mais de 2 mil moradias populares no Acre

Redação Folha do Acre

Date:

Quatro empresas acreanas e outras quatro de outros estados conseguem habilitação na licitação para a construção das residências do programa Minha Casa, Minha Vida e vão poder participar do projeto para erguer 1.516 moradias em Rio Branco, Xapuri e Assis Brasil e mais casas do governo do estado e de projeto especial na Cidade do Povo.

Na reunião de chamamento realizadas nessa segunda-feira, quando as empresas deveriam apresentar o envelope de propostas e documentação, apenas oito das 10 empresas que participaram da primeira etapa da licitação conseguiram se classificar.

O governo dividiu a contratação em nove lotes. Cada empresa pode ficar no máximo com a construção de 250 casas ou apartamentos. Como o governo federal já tinha disponibilizado o valor que pagaria por cada unidade, o edital cobrava das empresas participantes que apresentassem capacidade técnica e operacional. Duas empresas deixaram de entregar documentos e foram desclassificadas.

O governo vai pagar R$ 134 mil para casas construídas em Rio Branco e R$ 130 mil no interior do Estado. Os apartamentos terão o preço de R$ 152 mil.

Segundo Leonardo Neder, diretor técnico da Secretaria de Habitação essa é a etapa mais importante e por isso o governo tem todo interesse na transparência das escolhas e todo o trâmite de escolha das empreiteiras. “As empresas que ficarem mais bem classificadas vão poder escolher quais lotes e terrenos pretendem trabalhar. São 2.000 casas no bairro Cidade do Povo, no Irineu Serra serão 224 apartamentos e outros 192 no Calafate. Outras 100 casas serão construídas em Xapuri. Na reunião dessa segunda-feira, foi dado um prazo de cinco dias para que as empresas insatisfeitas possam apresentar recursos. Só depois do julgamento elas vão poder começar a preparar os projetos.

As empresas classificadas têm até o mês de abril, prazo máximo, para entregar os projetos, licenciamentos e documentos das construções para a Caixa Econômica Federal, que vai analisar a documentação e verificar que está regular, para dar a ordem de serviço.

Além das casas do programa Minha Casa Minha Vida, o governo do estado pretende construir mais 500 unidades com recursos próprios e com outros programas do governo federal. O prazo para a entrega desses imóveis vai até o final de 2024.

A Tribuna

Últimas