20 junho 2024

Mesmo com nível do Rio Acre oscilando, Bocalom visita Parque de Exposições para elaboração do Plano de Contingência

Por Kauã Lucca, da Folha do Acre

Date:

Mesmo com as oscilações do nível do Rio Acre nesses últimos dias, a Defesa Civil do município alerta que não existe mais cota segura, mesmo o nível apresentando uma certa distância da cota de alerta que é de 13,50 metros. Por esse motivo, uma equipe de gestores da prefeitura foi designada até o parque de exposições Wildy Viana, para realizar uma visita técnica, visando a elaboração do plano de contingência.

Quem também esteve presente no local foi o prefeito de Rio Branco Tião Bocalom, onde o mesmo vistoriou as condições do parque e possíveis construções de abrigo, caso venha a o ocorrer enchentes nos rios e igarapés da capital.

“Essa visita aqui é necessária, mesmo que o rio esteja oscilando. É claro que estamos preparando o terreno, pois sabemos dos problemas com as chuvas, pois não avisa. O Plano de Contingência da prefeitura está prontinho na Defesa Civil, com todas as secretarias, e a gente veio aqui fazer essa visita “in loco”. Nós estamos aqui juntamente com o coronel Falcão, Defesa Civil, com a Suellen, que é a Secretaria de Assistência Social, porque o nosso negócio é cuidar de gente, o nosso negócio é cuidar das pessoas.” – disse o gestor do executivo municipal.

O coordenador da Defesa Civil, coronel Cláudio Falcão, destacou a importância da logística operacional e dos cuidados que toda equipe está tendo.

“O importante também é dizer para todos que o cuidado que nós estamos tendo, inclusive com a presença do prefeito, nos locais onde servirão de abrigo, o monitoramento de bairros que nós fazemos diariamente, são 10 bairros, 600 famílias sendo monitoradas nesse instante e nós preparamos toda a logística operacional para o socorro no momento certo. Tudo isso está sendo previsto, cada passo disso. Inclusive reuniões com todos os outros secretários e secretarias da prefeitura para deixarmos o socorro pronto e completo para o momento que ele vier a ser necessário.” – relatou Falcão.

Últimas