18 abril 2024

Família de vítima fatal sugere fechamento da ‘Cachoeira do Abraão’ ao público

Redação

Date:

Hemelly Jamilli Nascimento, mãe do jovem Cauã Ricardo Nascimento Silva, que morreu aos 19 anos na chamada ‘Cachoeira do Abraão’, na Estrada de Porto Acre, expressou sua indignação nas redes sociais, declarando que lamenta o fato de as autoridades só terem tomado medidas de segurança após a fatalidade que vitimou seu filho.

“Como mãe do Cauã Ricardo, lamento por essa atitude [alertas de perigo colocadas no local] só após a morte do meu filho, porque segundo informações, já tiveram duas mortes anteriores e nunca foi divulgado. Mas agradeço a Deus por ter encontrado o corpo do meu filho e poder dar um enterro digno”, disse.

“Na minha opinião e experiência, esse lugar deveria ser fechado”, concluiu.

A reportagem apurou com a assessoria do Corpo de Bombeiros, , no entanto, que não há registro de outros óbitos naquela região.

Após a morte de Cauã, a prefeitura de Porto Acre realizou uma reunião com membros do Corpo de Bombeiros para discutir possíveis medidas no local. A gestão pretende instalar placas de sinalização para informar os banhistas e evitar novas tragédias e acidentes.

O encontro entre as autoridades ocorreu depois que o tenente-coronel Cláudio Falcão, coordenador da Defesa Civil de Rio Branco, declarou ser necessário que a prefeitura acione o órgão competente para realizar uma inspeção no local e identificar possíveis riscos aos banhistas na área da queda d’água usada para lazer.

A prefeitura de Porto Acre deverá emitir uma nota pública nos próximos dias divulgando as novas medidas de sinalização que serão adotadas no local.

Formação

A corredeira – que os populares passaram a chamar de ‘cachoeira’ – foi formada após o rompimento de um desvio no Rio Acre, na cidade de Porto Acre, e tem virado atração turísticas para os moradores do município e também da capital Rio Branco, localizada a cerca de 40 quilômetros do local.

O lugar recebeu o nome de ‘Cachoeira do Abraão’, já que está localizada nas terras de Antonio Manoel da Silva, mais conhecido como Seu Abraão. Segundo ele, algumas escavações no rio foram feitas há muitos anos e essa queda d’água apareceu. Porém, tem muito tempo que ela não ficava visível, até que uma das curvas do rio se desfez e fez com que ela aparecesse novamente.

O Acre Agora

Últimas