29 fevereiro 2024

Com a presença de Marcus Alexandre, PCdoB realiza Conferência Municipal e defende frente ampla para consolidar a democracia

Assessoria

Date:

Na manhã deste sábado (21) foi realizada a Conferência Municipal do Partido Comunista do Brasil em Rio Branco. O evento contou com a presença de lideranças de diversos partidos. Entres eles, o PT, MDB, Rede Sustentabilidade e PSOL. O pré-candidato a prefeito de Rio Branco, Marcus Alexandre, esteve na Conferência, acompanhado do presidente estadual do MDB, Flaviano Melo e membros da executiva da sigla.

O presidente do Comitê Municipal do PCdoB, Márcio Batista, disse que as conferências fazem parte da agenda do partido em todo o País. “É o exercício da nossa democracia interna. Nós moramos, nós existimos é nas cidades. É nas cidades que as políticas públicas devem acontecer. Nós precisamos remover um dos escombros do autoritarismo e do bolsonarismo, que é o prefeito Bocalom. Eu poderia passar a manhã inteira falando da queda dos indicadores em várias áreas”, disse.

“O sentimento majoritário que está nos bairros é de mudança”, diz Marcus Alexandre

Em seu discurso, o pré-candidato do MDB, Marcus Alexandre, defendeu união e companheirismo. “A eleição que começa ano que vem já está em cada esquina desta cidade. Em todo canto, o assunto está colocado. Não é antecipar o processo, é antecipar o debate. É um convite honroso está nesta Conferência. Só tem um jeito de enfrentar essa batalha: com união e companheirismo. Essa campanha que se avizinha, é um reencontro das forças democráticas”.

Marcus Alexandre não deixou de questionar o empréstimo solicitado pelo prefeito Tião Bocalom (PP) de R$ 340 milhões. “O maior empréstimo, mandaram para a Câmara e o prefeito dizia que estava cheio de dinheiro. Era um milharal doido. E esse dinheiro não sabemos para onde vai. O sentimento majoritário que está nos bairros é de mudança. Mudança é o nosso projeto”.

O presidente estadual do MDB, Flaviano Melo, reforçou a fala de Marcus Alexandre. Disse que: “o momento agora é começar pela Prefeitura e depois o governo do Estado e fazer esse Acre crescer”.

O porta-voz da Rede Sustentabilidade, Inácio, destacou a luta do PCdoB por uma Rio Branco melhor. “Aqui o caldeirão ferve. Todo mundo sabe que onde a militância do PCdoB está, tem muita garra, muita disciplina, disputa voto a voto. Temos que continuar com esse processo de romper com autoritarismo.

Eduardo Farias, presidente estadual do PCdoB, afirmou que Marcus Alexandre tem experiência para administrar Rio Branco. Ele frisou que o PCdoB vai contribuir não só para eleger o emedebista, mas ajudá-lo na Câmara. “Nós vamos querer construir com mandatos de vereadores”.
Já o presidente do Partido dos Trabalhadores, Daniel Zen, fez apontamentos com relação à produção rural. Ele afirmou que os produtores rurais sofrem com o abandono da gestão Bocalom. Não há ramais e as feiras públicas e mercados estão abandonados. “Onde estão os piores indicadores do Tião Bocalom, é na área rural. As feiras estão uma bagunça e o único candidato que encontra com condições, o único que se encontra preparado para o debate programático é o Marcus Alexandre”, disse Zen.

Trazendo a mensagem do PSD, do senador Sérgio Petecão, o deputado estadual Eduardo Ribeiro, disse que o PCdoB é um dos responsáveis pela democratização do País nestes mais de 100 anos de luta. “O PCdoB cumpre um papel fundamental para que possamos estar aqui. Trago a mensagem do PSD para que o PCdoB possa avançar na construção de políticas públicas”.

Encerrando as falas, Edvaldo Magalhães defendeu a importância da formação da frente ampla para eleger o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, ao lado de Geraldo Alckimin, e derrotar o obscurantismo e o embrião do fascismo, personalizado na figura do então presidente Jair Bolsonaro, em 2022. Para ele, é preciso construir a frente ampla ao lado de Marcus Alexandre para os desafios do próximo ano.

“Nós estamos vivendo esse momento de virada da história da disputa política eleitoral do estado do Acre. Os que estão sentados aqui estão vivendo um momento inicial desta construção que daqui a muitos anos poderão contar: ‘olha, eu participei desses primeiros arranjos. Não é fácil fazer uma construção política ampla porque exige paciência, exige renúncia, mas sobretudo, exige compromisso e visão de futuro na defesa do nosso povo. Essa aliança fará bem para o povo de Rio Branco e terá grandes repercussões na política do estado do Acre. Viva a frente ampla para consolidar a democracia no Brasil e no estado do Acre”, ressaltou Edvaldo Magalhães.

A diretora de Economia Sustentável e Industrialização da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), Perpétua Almeida, não pode estar na Conferência por força da agenda do cargo em Brasília, mas enviou uma mensagem à militância.

Últimas