2 março 2024

Senador Alan Rick busca liberação de R$ 16 milhões para saneamento em Tarauacá

Assessoria

Date:

O valor será investido na ampliação da rede de esgoto e na construção da estação de tratamento

O Senador Alan Rick (União-AC), continua trabalhando na implantação de saneamento básico em todo o Estado. Nesta quinta-feira, 31, sua assessora de orçamento, Janete Santos, acompanhou a Secretária Adjunta da Secretaria Estadual de Obras (SEOP), Samara Raquel, e o diretor de Projetos, Esterferson Rocha, em reunião na Fundação Nacional de Saúde (Funasa). O objetivo central do encontro foi discutir um convênio de R$ 16 milhões destinado à expansão da rede de esgoto e à construção de uma estação de tratamento em Tarauacá.

O orçamento total da obra é de R$ 26,2 milhões. Cerca de R$ 14 milhões serão investidos na construção da estação e R$ 12,2 milhões na ampliação da rede de esgoto. Deste total, R$ 16,3 milhões são de recursos federais, que o Senador está atuando para liberar, e R$ 9,9 milhões de contrapartida do Governo do Estado.

O projeto inicial, no entanto, precisará passar por uma modificação. Conforme a Secretária, o terreno inicialmente designado para a construção da estação de tratamento mostrou-se inviável e um novo lote será indicado. A mudança terá que passar por nova análise da Funasa. “Como a Funasa foi extinta em janeiro e está em processo de recriação, o órgão está sem pessoal para analisar os convênios. Por isso, foi solicitado que a SEOP reenvie o projeto daqui a dois meses”, explica Janete Santos.

De acordo com o Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS), somente Rio Branco tem sistema de saneamento básico. “Estamos trabalhando junto à Secretaria Nacional de Fundos e Instrumentos Financeiros do Ministério da Integração e do Desenvolvimento Regional, na busca de soluções orçamentárias para implantar a coleta e tratamento de esgoto em todos os municípios do Estado. Esse é um problema alarmante, tanto de saúde pública quanto ambiental, e a solução poderá ser por consórcio e parceria público-privada, como estamos fazendo com os aterros sanitários”, explicou o Senador.

Últimas