29 fevereiro 2024

Mulher acusa advogado de quebrar medida protetiva para agredi-la: ‘diz que vai matar a minha filha e eu’

Redação

Date:

Última agressão aconteceu no domingo (3), quando a mulher já estava com medida protetiva contra ele. OAB diz que acompanha o caso e advogado nega acusações.

O advogado Osvaldo Coca Júnior está respondendo por quebra de medida protetiva após ter invadido a casa da ex-mulher e agredi-la na noite desse domingo (3). De acordo com a vítima, a empresária Linda Blair, eles estavam separados há dois meses e ela já mantém a medida protetiva contra ele por violência doméstica.

A primeira agressão, segundo ela, ocorreu em junho deste ano, quando eles ainda moravam juntos. Segundo a defesa da mulher, feita pelo advogado Kalebh Mota, Osvaldo Júnior chegou a ser preso por violência doméstica em junho, mas foi solto em audiência de custódia.

A segunda ocorrência se deu na casa da vítima neste domingo (3). “Ele invadiu a casa dela para tirar satisfação de uma história que ele ficou sabendo e também para pedir pra reatar a união , quando ela viu que ele entrou no terreno, fechou a porta e falou para ele ir embora pela janela, logo em seguida ele arrombou a porta dos fundos e começaram as agressões físicas e verbais. Vale dizer que as agressões foram feitas na presença da filha do casal que tem pouco mais de um ano. A mãe da vítima também estava em casa e viu tudo”, disse o advogado.

‘Ele vai se vingar’

 

Linda conta que estava em casa com a filha de 1 ano e a mãe, quando o advogado chegou, invadiu o terreno e arrombou a porta da casa. Ela conta ainda que foi arrastada para a rua e espancada pelo advogado.

“Ele já responde Maria da Penha e tive uma medida protetiva, mas ele nunca respeitou isso, nunca aceitou que a gente terminou, sempre fica com essa perseguição e violência. Na primeira vez, a gente morava junto, a gente acabou discutindo, ele me espancou com um cabo de vassoura, chute, enforcamentos, socos, tudo na frente da minha bebê de um ano e depois disso entrei com o processo. Por termos uma filha, sempre mantive contato com ele, porque dependia 100% dele financeiramente. Então sempre tive que aguentar ameaça, como minha filha fosse passar necessidade, sempre tive que correr esse risco”, conta emocionada.

Linda disse que, além das agressões, Osvaldo Júnior também pegou alguns objetos dela.

“Ele invadiu minha casa, arrombou minha porta dizendo que me amava, que queria voltar, mas falei que não. Então, ele pegou meu notebook, que é meu meio de trabalho, me arrastou pro meio da rua, tanto que estou totalmente machucada. Então, ele me jogou diversas vezes no chão, me bateu em várias partes do corpo, estou muito dolorida. Quando ele colocou meus bens no carro dele, minha reação foi bater no carro pra ele me devolver, então ele tentou me atropelar umas 3 ou 4 vezes e tentou atropelar minha mãe também”, contou.

A empresária diz que só decidiu tornar o caso público para se proteger, uma vez que tem sido ameaçada pelo ex. Os dois ficaram juntos por quatro anos e estão separados há dois meses.

“Ele vai se vingar de mim, porque ele tá ameaçando que vai matar minha filha e eu. Tenho medo porque ele sabe como é minha rotina, minha vida e tenho certeza que ele vai tentar me matar de verdade, como tem tentado todas as vezes. No momento eu estou com muito medo, mas preciso de um pouco de visibilidade para pedir ajudar. Nós passamos 4 anos juntos e estamos separados há dois meses.

Linda teve a casa invadida pelo ex — Foto: Arquivo pessoal

Em nota ao g1, Osvaldo Junior informou que: “eu nego as acusações e provarei minha inocência em juízo”, disse.

OAB se posiciona

 

Na Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam), segundo o advogado de defesa, o delegado informou que Osvaldo Junior deve ser indiciado por descumprimento de medidas protetivas, stalking, agressão e ameaça, além do arrombamento também.

A Ordem dos Advogados do Brasil seccional Acre (OAB-AC) disse que tomou conhecimento do caso pela imprensa e que está apurando os detalhes.

“Apurará a denúncia com a severidade que o caso requer, ao passo que adotará todas as medidas ético-disciplinares necessárias e pertinentes ao caso. Como se trata de um caso que, pela sua natureza, tramita em segredo de justiça, a OAB Acre buscará as informações pertinentes”, informou.

Osvaldo Júnior também ocupava cargo de chefia na Divisão Jurídica Administrativa – DIJAD da Agência Reguladora dos Serviços Públicos do Estado do Acre (Ageac), nomeado em março deste ano. Porém, foi exonerado do cargo público ainda em agosto deste ano, com publicação do Diário Oficial no dia 23 de agosto.

Com informações: G1 Acre.

Últimas