Rocha e Luiz Gonzaga ‘brigam’ por energia elétrica e comunicação para o Juruá

0

O deputado Federal Major Rocha (PSDB/AC) e o deputado Estadual Luiz Gonzaga (PSDB/AC), participaram nesta quarta-feira (11) de uma série de reuniões em Brasília. A agende foi em busca de soluções para a telefonia celular e a conexão com a internet no Oeste do Estado, bem como para tratar da interligação do Juruá com a rede nacional de energia elétrica por intermédio do “Linhão”.

Na Anatel e na empresa Oi, detentora da concessão de internet e telefone, os dois parlamentares acreanos buscaram soluções para problemas recorrentes na conexão em municípios do Acre, em especial na região do Juruá.

A região sofre com recorrentes problemas de rompimento nos cabos de fibra ótica, causando queda na conexão e prejuízos para a população por conta da falta de comunicação.

Sem comunicação, sem vendas

“A falta de internet e telefone causa prejuízos ao comércio, a rede bancária e o principal, sem conexão de internet e telefone, a criminalidade aproveita para realizar delitos, já que não é possível a comunicação com os órgãos de segurança pública”, argumentou Rocha.

Já o deputado Gonzaga destacou terem os constantes cortes na comunicação uma verdadeira dor de cabeça para a comunidade e para os comerciantes, pois reduz as vendas.

Segundo Alvimar Camacam, diretor de relações institucionais da Oi, muitas vezes o rompimento ocorre de forma criminosa e como não há outro cabo disponível como reserva para a região, a qual fica sem comunicação.

Em busca da energia estável

Os tucanos acreanos foram à sede da Eletrobrás, onde trataram dos motivos que levaram à suspensão da obra do linhão de transmissão de energia em Cruzeiro do Sul e sobre a desativação da usina termelétrica, localizada em Rio Branco.

O Deputado Luiz Gonzaga argumentou que a usina operada pela Guascor em Cruzeiro do Sul e região, sofre constantes falhas, causando queda de energia e apagão geral.

Gonzaga e Rocha solicitaram estudo de viabilidade de transferência da usina desativada de Rio Branco para a região do Juruá, que serviria de backup em caso de apagões.

Eletrobrás diz estar providenciando

O chefe de gabinete da Presidência, Fernando Lomonaco e o assessor do diretor de engenharia, Luiz Rufato, explicaram que a obra do linhão foi paralisada porque a concessionária que ganhou a licitação da obra pediu recuperação judicial.

“A Eletrobrás não desistiu da obra do linhão, obra que custará R$ 427 milhões de reais aos cofres, pois somente com óleo diesel gastamos 500 milhões de reais por ano para fornecer energia para Cruzeiro do Sul e região”, afirmou Rufato.​

Assessoria

Comentários

comentários