Porta-voz de Tião Viana ataca Binho Marques após ex-governador apontar fracasso da Florestania

0

Derrocada da Frente Popular, especificamente a derrota do senador Jorge Viana (PT), considerado a maior liderança do grupo, tem rendido brigas dentro do grupo. O porta-voz do governador Tião Viana (PT), Leonildo Rosas, não gostou que o ex-governador Binho Marques insinuasse que a derrota de Jorge nas urnas tenha sido causada pelo governador e seu grupo. Rosas, em uma longa publicação na internet, chamou Binho de Leviano.

Na postagem que teve pouca interação por parte da ala mais moderada do PT, Leonildo Rosas diz que Binho vive alheio ao cenário político nacional e local. “Distante há anos do Estado que seria, segundo as suas palavras, ‘o melhor lugar da Amazônia para se viver’, e alheio a tudo o que ocorre no cenário político nacional e local, o ex-governador Binho Marques se apressa em uma análise rasa do resultado eleitoral, além de ser leviano ao voltar sua bateria para quem não deveria”, diz.

Rosas acusa, indiretamente, Binho de ser ingrato por tudo que o PT supostamente o ofereceu, mas não diz exatamente do que se trata. “Antes de agir assim, o correto seria agradecer por tudo o que lhe foi oferecido pelo PT, tanto em nível estadual quanto nacional. Nunca teve humildade para fazer um gesto simples como esse”, diz.

O porta-voz de Tião Viana defende a Florestania e diz que Binho não quis agir de boa fé. “Se também quisesse agir de boa-fé, se daria ao trabalho de andar pelo Acre, estudar os resultados reconhecidos por órgãos e entidades de credibilidade nacional e internacional, para verificar que nunca se fez tanto pelo meio ambiente e por quem habita, produz e conserva a floresta como o atual governo”, diz.

O ataque de Rosas aconteceu após Binho afirmar que Jorge Viana pagou uma fatura que não era sua, referindo-se a derrota do último domingo (9) e de ter acusado os atuais governantes de terem desvirtuado o termo Florestania. “O amigo Jorge, você pagou uma conta muito alta, que não era sua. são coisas desse tempo… são coisas do coiso. mas não é só isso; do nosso projeto de um Acre justo e republicano, que noutros tempos chamávamos de florestania, não sobrou o endereço; desvirtuado e torturado que foi nos últimos anos. por tudo isso, que imagino que saibas tanto quanto eu, admiro ainda mais tua postura serena nestes tempos de traição e amnésia coletiva. agora, é hora de dar tempo ao tempo. ele é senhor da razão.”, diz.

Comentários

comentários