Jorge Viana fala sobre empresas da esposa e sócio, ex-subprocurador envolvido em escândalos

0

A versão de Jorge Viana

Jorge Viana e a esposa Dolores Nieto

O senador Jorge Viana, de forma muito educada, ligou para esta colunista para afirmar que sua esposa, Dolores Nieto, não possui uma única empresa, tampouco possui sala especial na Federação das Indústrias do Acre (Fieac) e que sua função é meramente colaborativa com o Fórum de Desenvolvimento. Negou também qualquer desavença com o grupo do ex-presidente da Fieac, José Adriano.

Big data, o novo jornalismo e as empresas de Dolores Nieto

O senador questionou a motivação e o caráter da fonte desta coluna, que obviamente permanece creditada e preservada, mas resolvi estender o trabalho jornalístico a pesquisas mais profundas com base em big data e constatamos que a empresária Dolores Nieto deu baixa, sem justificativa, em uma dezena de suas empresas, porém outras permanecem ativas.

Veja aqui a lista de empresas de Dolores Nieto:

Empresa Água Preta Energia Sustentável

Empresa Caracol Energia Sustentável

Empresa Ituxi Energia Sustentável

Dolores deu baixa em empresas

Lista da sociedade de Dolores Nieto

Ramo de energia

A maioria das empresas de Dolores Nieto é do ramo da energia e ela possui como sócio uma pessoa bastante conhecida e influente em Brasília, o ex-subprocurador da República, José Roberto Figueiredo Santoro. Santoro já teve o nome citado em escândalos nacionais e, segundo o jornalista Mino Pedrosa, era intimamente ligado a Aécio Neves.

Assunto já foi pauta nacional

Doze das empresas de Dolores Nieto que foram rastreadas e divulgadas em reportem de Mino Pedrosa, em 2016, é do ramo de energia, entre elas a Caracol Energia Sustentável, Ituxi Energia Sustentavel S/A, Endimari Energia Sustentável S/A e Água Preta Energia Sustentável.

Ex-subprocurador como sócio

Quem aparece como sócio de Dolores Nieto em todas as empresas de energia, incluído a Ituxi, é José Roberto Figueiredo Santoro, que na época era subprocurador da República.

Mino Pedrosa, o rastro da Lava Jato e as denúncias de 2016

Mino Pedrosa chegou a citar em sua reportagem de 2016 que investigadores da Operação Lava Jato chegaram a rastrear as empresas da esposa de Jorge Viana e ficaram “surpresos” com os estreitos laços do senador acreano com o subprocurador da República, José Roberto Figueiredo Santoro, conhecido por ter amizades estreitas com tucanos de alta plumagem.

Escândalos

Um dos casos de escândalos foi ligado a Carlinhos Cachoeira, em meio ao primeiro mandato de Luiz Inácio Lula da Silva. Ao lado também do procurador Marcelo Antônio Ceará Serra Azul, José Roberto Santoro foi flagrado, supostamente, tentando pressionar Cachoeira a entregar uma fita que iria prejudicar o então ministro José Dirceu.

O sócio alvo de inquérito

Ele chegou a ser alvo de um inquérito instaurado pela Procuradoria-Geral da República por extrapolar suas funções no caso do bicheiro Carlinhos Cachoeira.

Denúncia arquivada

O senador Jorge Viana segue comemorando o fato do ministro Gilmar Mendes ter arquivado a denúncia contra ele por suposta intermediação de uma doação de R$ 2 milhões para a campanha do irmão dele, Tião Viana, para o governo do Acre, em 2010. A PGR disse que nesse caso havia a suspeita da prática do crime de caixa dois, quando se omite uma doação à Justiça Eleitoral, e não corrupção. O ministro arquivou por falta de provas.

Explosão de violência

O que se viu nos últimos dias foi uma explosão de violência na capital e no interior do Acre. Chacinas, execuções em plena luz do dia, sangue para todos os lados.

Saúde na UTI

Gravíssimo o fato da Policlínica do Tucumã, onde antes funcionou uma Unidade de Pronto Atendimento, estar fechada quando os pacientes buscam atendimento.

Bom dia a todos

Comentários

comentários