Jesus Sérgio fica no PDT e Tchê reafirma: “Não abriremos mão de indicar o vice para o governo”

0

Está sacramentado. O deputado Jesus Sérgio continua no Partido Democrático Trabalhista (PDT), na base do Governo de Tião Viana (PT) até fim do mandato. O parlamentar que vinha, nos últimos dias, sendo cortejado por partidos nanicos e de oposição, bateu o martelo e permanecerá na agremiação onde concorrerá ao cargo de deputado federal nas Eleições de outubro.

A garantia de que o deputado permanece no PDT é do próprio presidente regional, José Luiz Tchê que até informou sobre uma reunião ocorrida entre membros do Acre e o presidente nacional do PDT, deputado Carlos Lupi, onde o próprio Jesus Sérgio esteve presente em Brasília. “Tenho certeza que ele falaria alguma coisa. No entanto, ele não disse nada sobre a suposta saída. Ou seja, isso não procede. Tudo especulações”, esclareceu.

Com base nisto, Tchê assegura a permanência do parlamentar na agremiação e até fez comparações. “Tá mais fácil a gente trazer o Chico Batista pro PDT, do que o Jesus Sérgio sair”, comparou.

Até o último final de semana, os bastidores da política acreana davam conta de que Jesus Sérgio e mais dois deputados que compõem a base governista de Tião Viana, na Aleac, estariam de malas prontas para sair dos moldes da Frente Popular do Acre (FPA) e pousariam em terrenos da oposição mais precisamente em partidos nanicos.

A assessoria do parlamentar também confirmou sua permanência no PDT tendo em vista que o deputado já tem base sustentada na regional de Tarauacá e seria muito difícil pregar uma nova ideologia contra a FPA ainda mais nesta “altura do campeonato”. No entanto, o que ainda incomoda o deputado é o vínculo com o Partido dos Trabalhadores (PT).

A regional que é de responsabilidade de Jesus Sérgio foi a que mais elegeu vereadores pelo PDT sendo quatro pedetistas de Cruzeiro do Sul, dois no Jordão e outros na própria Tarauacá.

CHAPA MAJORITÁRIA NA FPA

A indicação de vice-governador ao lado do pré-candidato Marcus Alexandre (PT) também pautou entrevista de Tchê à Folha do Acre. Questionado sobre a rejeição do nome do secretário de Segurança Pública, Emylson Farias, na mesma chapa do atual prefeito de Rio Branco, Tchê informou “que isso não é de preocupação tendo em vista que ao se afastar da secretaria ele terá a chance de convencer os eleitores, afinal, ele tem a arte do convencimento” e “Ele tem nome limpo

Tchê comentou que o PDT não abrirá mão de indicar o candidato a vice-governador na chapa de Marcus Alexandre (PT). Ele até cogitou que se Farias achasse por certo, uma razão ou outra, disputar outro cargo nas eleições, o “PDT não abriria mão de escolher outro nome para vice-governador”. “Se a Frente Popular entender que o PDT não tem condições de indicar o vice-governador nós vamos tomar o nosso caminho”, disse.

CIRO GOMES NO ACRE

O pré-candidato à presidente da república, Ciro Gomes (PDT) deve desembarcar no Acre em abril onde anunciará aos acreanos, sobretudo aos pedetistas, suas intenções nas eleições deste ano. A data da visita ainda é incerta, no entanto, José Luiz Tchê garantiu que o presidenciável possa vir ao estado na segunda quinzena do próximo mês.

“O PDT fez o pré-lançamento na última quinta-feira do Ciro Gomes e depois da segunda quinzena ele desembarca no Acre. Ele é o cara mais preparado entre os outros à presidência da república para governar o país. Ele vai crescer nas pesquisas, basta à população ouvir suas propostas”, finalizou.

CHAPÃO, CHAPINHA

Até o momento, o PDT vem com 22 nomes para disputar uma vaga na Assembleia Legislativa. O próprio José Luiz Tchê quer voltar a ocupar uma cadeira no plenário. Já para a disputa de deputado federal, o número cai para nove onde inclui neste número o próprio Jesus Sérgio.

Comentários

comentários