Jenílson Leite diz que vota contra projeto de privatização da saúde pública do Acre

0

O deputado Jenílson Leite (PCdoB) foi o primeiro a deputado da base governista a dizer hoje (14) como votará no Projeto de Lei 08/2018 que cria uma Organização Social (OS) para administrar as Unidades de Pronto Atendimento (UPA) e o Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco (HUERB).

A expectativa que o PL seja votado na sessão de hoje. O projeto estava na pauta de votação na sessão histórica de ontem (13), no entanto, os deputados resolveram adiar a votação.

Jenílson Leite que é médico ressaltou na tribuna às dificuldades que um membro da base governista tem em poder votar matérias que possam causar estranheza na base governista. No entanto, o parlamentar ressaltou que nunca se refutou das suas responsabilidades de parlamentar.

“Sobre as OS eu sou contra por uma série de razões ideológicas, acho que temos mecanismos de fazer uma boa gestão. Acho que o OS não vai contemplar os interesses como se deve. Não quero desmerecer a ideia do governador, que ele tem uma visão diferente de Saúde. Pode ser que ela der certo. Mesmo assim, hoje meu pensamento é que ela não será como se deve. Acho que o governador tem feito grandes esforços para manter a saúde funcionando, mesmo que todos conhecem a realidade, dificuldades que existam nas unidades”, discursou.

Sobre a votação de ontem, o deputado classificou a sessão como “intensa e produtiva”. “Foi um dia importante para a Saúde do Acre e servidores do Pró-Saúde. Essa casa derrubou o veto que abre uma clareira, uma possibilidade aos servidores por continuem com a perspectiva de manterem seus empregos. Foi um dia intenso pra mim, também foi um dia muito difícil tendo em vista que sou um deputado da base do governo, mas que nunca se furtou às suas responsabilidades. No entanto, há alguns momentos que temos que dizer o que não concordamos. Esse é um exemplo, por rejeitar o veto governamental”, concluiu.

Até o momento são onze os deputados que ensaiam votar contra o projeto sendo nove da bancada de oposição e dois de situação.

Comentários

comentários