Governo dialoga com sindicatos para negociar Reforma da Previdência

0

Por intermédio de uma parceria com a Assembleia Legislativa do Acre (Aleac), o governo do Estado tem facilitado o diálogo com os sindicatos do servidores estaduais para aprovar a Reforma da Previdência. Deputados estaduais e representantes dos trabalhadores têm se empenhado para ajustar a nova lei proposta pelo Executivo, que tramita na Casa Legislativa.

O governador Gladson Cameli tem orientado os parlamentares a ouvirem as propostas e reivindicações dos sindicatos antes da aprovação da Reforma da Previdência.

“A democracia está baseada no diálogo. Assim estamos dando todas as informações técnicas através da equipe econômica do governo para que os deputados e os sindicatos entendam a importância da aprovação dessa matéria. O ajuste da Previdência é essencial para o Estado equilibrar as suas finanças e voltar a crescer. Sem a aprovação da Reforma estaremos colocando em risco os pagamentos de rescisões, fornecedores, precatórios, empréstimos e salários de aposentados. Estamos empenhados em corrigir distorções deixadas por administrações anteriores na Previdência estadual”, ponderou o governador.

Ação parlamentar eficiente

Os trabalhos legislativos para a aprovação da Reforma da Previdência têm sido conduzidos pelos deputado estadual Nicolau Júnior, presidente da Aleac. Ele tem facilitado os debates e as negociações com os sindicalistas democraticamente, sempre buscando o consenso.

“Essa é uma matéria essencial porque vai destravar o governo e garantir direitos aos trabalhadores. Estamos fazendo algumas correções no projeto enviado à Casa, mas a sua aprovação é importante porque o nosso Estado enfrenta um déficit previdenciário que poderá chegar a R$ 1 bilhão daqui a dois anos inviabilizando os investimentos sociais e econômicos. Isso não é culpa do atual governo, mas de outros que fizeram empréstimos bilionários”, afirmou.

Nicolau ressalta que a aprovação da PEC tem sido tratada com responsabilidade pelos parlamentares

“Infelizmente alguns que não são realmente sindicalistas tentaram fazer uma baderna e atrapalhar o nosso trabalho. Fizeram muito teatro, mas tratamos tudo com muita democracia. O governador Gladson pediu para que promovêssemos debates com todas as categorias de servidores e a oposição. É isso que estamos fazendo. Algumas classes já chegaram a alguns entendimentos por entenderem a atual situação econômica do Estado. É melhor fazer isso agora, seguindo a trilha da reforma nacional, do que inviabilizar o Governo,” destacou.

As conversações entre parlamentares, sindicalistas e a equipe econômica do governo continuarão até a próxima terça, 12, quando a Reforma Previdenciária deverá ser votada em plenário.

Secom

Comentários

comentários