Gonzaga cobra melhorias em ramal para manter escoamento da produção e renda para produtores

0

O primeiro-secretário da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa do Acre (Aleac), Luiz Gonzaga (PSDB), se reuniu na manhã de segunda-feira (3) com Micaelle Maia Coelho, chefe do Departamento de Projetos da Associação dos Municípios do Acre (Amac) e com o governador Gladson Cameli para tratar de desenhar um plano emergencial para o ramal que dá acesso ao projeto de assentamento Zaqueu Machado, em Capixaba.

Segundo o deputado, o assentamento é o local de moradia e produção das 28 famílias que trabalham em sistema de cooperativa no Horta Nativa.

“É um local de produção. Juntos eles produzem desde verduras, frutas, peixes e frangos a compotas, doces, queijos polpas e as mais variadas iguarias que comercializam às sextas-feiras na feira do Incra em Rio Branco. Toda a produção é livre de agrotóxicos”, diz.

Gonzaga frisa que o problema são as más condições do ramal que dá acesso ao projeto Zaqueu Machado que põe em risco o trabalho e a sobrevivência dos produtores.

“Mesmo se dizendo que ramal é responsabilidade das prefeituras nada impede que o governo do Estado colabore. Fui em busca de ajuda porque conheço bem o trabalho desses produtores. Não podemos sentar e esperar. Temos que ajudar e logo. Esses trabalhadores levantam às 3 horas da manhã e garantem com o trabalho uma renda familiar de mais de R$ 5 mil/mês. Temos que ajudar quem se empenha”, disse o deputado Luiz Gonzaga.

Os projeto Zaqueu Machado fica distante 77 km da feira do Incra, na capital, onde comercializam os produtos. São cerca de 20 km de ramal que os separam do asfalto.

Comentários

comentários