Calegário denuncia que Sepa está há 7 meses sem pagar servidores terceirizados

0

O deputado estadual Fagner Calegário usou a tribuna da Assembleia Legislativa do Acre (Aleac) na manhã de quarta-feira (17) para dar um duro recado à equipe que forma o Executivo a respeito de falta de organização.

Calegário aproveitou para denunciar que desde janeiro que a empresa terceirizada que presta serviço à Secretaria de Estado de Produção e Agronegócio (Sepa) está sem receber. Portanto, estando impossibilitada de pagar os trabalhadores e que por conta disso pediu a interrupção do contrato.

O parlamentar criticou os membros do governo Cameli e frisou que falta organização entre eles e a secretária da Fazenda, Semirames Dias, para que seja montado e cumprido um cronograma de pagamento aos prestadores de serviço e fornecedores.

“O que temos visto é que parece que os secretários que fazem parte da gestão não estão aliados com a secretária da Fazenda, Semirames Dias, para definir de uma vez por todas uma data específica para os repasses de pagamentos dos fornecedores. Temos visto de forma reiterada reclamações de prestadores de serviços e fornecedores do nosso estado”, diz.

Calegário afirmou que por estar há 7 meses sem receber a empresa prestadora de serviço pediu o rompimento do contrato.

“Era o que havia para ser feito diante de tanto descaso, mas olha o tamanho da vergonha que isto representa para um governo que tanto critica o governo anterior, mas já começou praticando o mesmo tipo de falha”, diz.

Por fim, o deputado criticou a suposta arrogância de alguns secretários que, segundo ele, se sobrepõe até ao próprio governador.

“Em alguns secretários eu vejo falta de interesse ou de boa vontade, algo que soa arrogante, de secretários que se colocam como se estivessem acima do governador. Eu já ouvi secretários arrogantes dizendo que quem manda lá são eles e não o governador. O governador precisa tomar cuidado com os desgastes que alguns secretários estão causando a ele e não deixar jamais de honrar os trabalhadores do nosso Acre. Isso é o que esperamos dele”, diz.

Comentários

comentários