Após pressão, onze deputados assinam requerimento e Aleac abrirá CPI da Energisa

0

Onze deputados assinaram o requerimento da CPI da Energisa

Subiu para 11 o número de deputados que assinaram o requerimento solicitando a instauração de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar supostas irregularidades na cobrança de energia por parte da empresa Energisa.

Quanto mais melhor

Em tese, apenas com 8 assinaturas já é possível que a CPI seja instaurada, mas obviamente que quando maior o número de deputados que aderirem ao requerimento melhor será, pois mostrará mais força do parlamento diante da questão.

Wagner Felipe

O deputado Wagner Felipe (PR) foi mais um que repensou a questão da CPI da Energisa e assinou o requerimento.

Pressões

O apelo popular por uma CPI para investigar a Energisa é grande e os deputados sofreram pressões populares nos últimos dias.

Racha no PSL

O racha no PSL do Acre mostra que a aparência de moralidade não é tão próxima da realidade. Tião Bocalom divulgou um áudio do presidente estadual Pedro Valério dando a entender que só iria apoiar Gladson Cameli se fosse em troca de cargos.

De estranhar

Nada de surpreendente no que foi ouvido no áudio divulgado por Bocalom. O que estranha é o fato de surgir este tipo de intenção justamente no partido que prega a ética, a moralidade e uma nova política. Recorrer ao velho fisiologismo de sempre é a prova de que não há nada de novo no PSL.

Célio Gadelha

O vereador Célio Gadelha foi duramente criticado nas redes sociais por ter retirado o nome do requerimento e ajudado a enterrar a CPI da Emurb.

PSDB lava as mãos

Os membros do PSDB, partido que abriga Célio Gadelha, fizeram questão de ir às redes sociais dizer que o vereador que enterrou a CPI da Emurb nada tem a ver com as ideologias ou posicionamentos do partido. Ele apenas teria usado o partido para se eleger, confessou um dos tucanos na tarde de quinta-feira (12).

Prontos para a despedida

O presidente regional do PSDB, Manoel Correia, afirmou que o partido está pronto para liberar Célio Gadelha. “Não se perde o que nunca se teve”, afirmou o presidente da sigla ao frisar que ele jamais foi realmente um membro do PSDB

Risco de perder o mandato

Ao que tudo indica o não corajoso vereador Célio Nogueira está com medo de que ao deixar o PSDB algum suplente pletei na Justiça a sua vaga de vereador por este ter cometido infidelidade partidária. É um risco.

Bom dia a todos

Comentários

comentários