Ao rebater Zen, Rodrigo diz que 2 mil empresas fecharam no Acre e metade da população vive na miséria

0
Rodrigo Pires

O presidente regional do partido Livres e membro do grupo Liberais acreanos, Rodrigo Pires, escreveu artigo onde rebate as declarações do deputado estadual Daniel Zen (PT), que chegou a classificar as ideias do liberais do Acre como “idiotas”, na última terça-feira (21) durante discurso na Assembleia Legislativa do Acre.

Ao rebater Daniz Zen, Rodrigo Pires mostrou dados que comprovam que a economia do Acre não entrou nos eixos durante os últimos anos em que o PT esteve à frente da gestão do Estado.

“Segundo a Junta Comercial Acreana, mais de 2 mil empresas fecharam nos últimos dois anos, inclusive com o Case Insucesso de ser o único Estado do Brasil que Coca-Cola Company desativou sua planta industrial. Onde existem 90 mil pessoas fora do mercado de trabalho e mais de metade da população vive com menos de um salário mínimo. Em um Estado onde de 22 municípios apenas 4 cidades tem mais 50% da economia maior que o serviço público”, disse.

Confira o arito na íntegra:

Por Rodrigo Pires

Respeito e admiro muito o parlamentar Daniel Zen, por isso o convido para um churrasco com a boa carne bovina acreana que representa a maior força econômica do Estado (privada), ficando atrás apenas da máquina pública. E não vai faltar assunto, ainda hoje o Banco Mundial soltou o relatório de ajuste estratégico para o Brasil e uma das críticas severas foi: 67 % dos servidores públicos federais ganham mais do que trabalhadores da iniciativa privada, quando trazemos para o âmbito estadual esse número ainda é alto, cerca de 30%.

De acordo com o documento, 83% dos servidores públicos integram o quadro de 20% da população mais rica do Brasil, incluído a classe política. Imagina o quanto isso representa em um Estado inchando como o Acre. Convidarei pecuaristas e empresários onde poderemos debater tranquilamente a política econômica do Acre, que, segundo a Junta Comercial Acreana, mais de 2 mil empresas fecharam nos últimos dois anos, inclusive com o Case Insucesso de ser o único Estado do Brasil que Coca-Cola Company desativou sua planta industrial. Onde existem 90 mil pessoas fora do mercado de trabalho e mais de metade da população vive com menos de um salário mínimo. Em um Estado onde de 22 municípios apenas 4 cidades tem mais 50% da economia maior que o serviço público.

No Bate Papo teremos muito o que conversar, sobre como Rondônia que adotou uma política econômica de desenvolvimento e hoje tem em seu cardápio:

Mais de 1,8 milhão de sacas de café, o maior produtor da região Norte, nos itens cacau, feijão e soja estão em segundo maior produtor do Norte. Na pecuária são 14 milhões de cabeças de gado. E é fácil mostrar que das 126 mil propriedades existem por lá 90% tem menos de 100 hectares e essas famílias têm uma renda mensal de R$ 5.000,00 a R$ 8.000,00. Estamos falando de 90 mil famílias com esse poder econômico.

Daniel, da última vez que fui no Mercado dos Colonos fiz uma pergunta a uma senhora que, no esforço de seus quase 70 anos, ainda vivia de agricultura familiar: “Se eu comprar toda a produção da senhora de hoje, quanto custa?”

Ela me respondeu: “Sessenta reais”. Logo fiz as contas e percebi quanto ela faturaria por mês. Essa mesma família com uma política de Agricultura Setorial no Estado poderia ter uma renda semelhante a R$ 5.000,00 a R$ 8.000,00, se o Acre não fizesse das florestas uma hipoteca ambiental.

As pessoas não querem mais ser alimentadas, bolsa aquilo ou acúla. Querem ter dignidade produzir, estudar, levantar a cabeça e poder comprar um carro, ter uma geladeira, uma moto, ter carne todo dia para comer na mistura. Essa mesma carne que é o meio de sustento de 26 mil produtores no Acre. Os tempos mudaram e o tempero vai mudar. Não adianta mais esse discurso de chamar o outro de idiota. É bom se preparar que o debate vai ser bom.

Só traga um “Peixe da Amazônia”, o restante nós vamos servir.

Rodrigo Pires, presidente regional do Livres e membro do grupo Liberais acreanos

Comentários

comentários