20 erros cometidos pela Frente Popular e oposição a 4 meses das eleições no Acre

0

Há quatro meses das eleições deste ano, os acreanos assistem os primeiros embates da eleição que vislumbra ser a mais disputa das últimas décadas. A divulgação da primeira pesquisa oficial, realizada pelo Instituto Delta, mostra uma polarização entre o PT de Marcus Alexandre e o PP de Gladson Cameli.

A Folha do Acre listou os 20 fatos e erros mais importantes sobre a pré-campanha e que podem ser determinantes para o resultado do dia 7 de outubro. As informações são de bastidores, divididas em 10 tópicos da Frente Popular e 10 da oposição acreana.

Frente Popular do Acre:

1 – Marcus Alexandre herdou o desgaste petista, mostrado na primeira pesquisa Delta;

2 – Tião Viana (PT) segue fazendo um governo desastroso e perdeu todo resquício de paciência chegando a sugerir que manifestantes toquem fogo em aeronaves;

3 – Segurança pública do Acre vira pauta nacional e governo do Acre perde argumentos;

Ney Amorim e Jorge Viana

4 – Jorge Viana é acusado por membros da própria Frente popular de detonar fogo amigo contra a pré-candidatura de Ney Amorim que começa a crescer ante o desgaste de Jorge.

5 – Partidos da Frente Popular, como PHS e PDT, sentem-se desprestigiados e ameaçam romper, jogando por terra a tese de união do grupo.

6 – Marcus Alexandre segue campanha solo no interior, pé no chão, tentando descolar a imagem do governo de Tião Viana.

7 – O desgaste do vice de Marcus Alexandre, Emylson Farias, intensifica-se por conta da violência no Acre e conselheiros políticos do grupo “escondem” o vice em algumas ocasiões.

FPA esconde Emylson da pré-campanha

8 – Base do governo na Assembleia não se mostra mais unida como anteriormente e fato pode refletir na candidatura de Marcus Alexandre.

9 – Saúde pública do Acre à beira do caos com a demissão de servidores do Pró-Saúde, consequente falta de mão de obra e acusações de falta de gestão e pagamentos.

10 – Falta liderança na campanha de Marcus Alexandre, ao contrário do que a Frente Popular tinha em outros pleitos. As lideranças que existem são desgastadas e não há tempo para preparar novas.

Maior vergonha da Frente Popular nesta campanha:

A falta de organização e a necessidade de “esconder” o vice Emylson Farias, desgastado por conta do aumento da violência no Acre durante sua gestão como secretário de Segurança Pública.

Oposição:

1 – Gladson Cameli (PP) não tem tempo e nem indica disposição para planejar a própria campanha por conta das brigas internas dentro da oposição.

MDB está rompido com grupo de Ilderlei em Cruzeiro do Sul

2 – O principal colégio eleitoral de Gladson Cameli, Cruzeiro do Sul, virou palco de disputa entre seus dois aliados, o ex-prefeito Vagner Sales e o atual prefeito, Ilderlei Cordeiro.

3 – As administrações desastrosas da oposição no interior, como é o caso de Sena Madureira e Tarauacá, podem render frutos amargos a Gladson.

4 – Partidos que integram a oposição continuam brigando dentro do grupo, mesmo após a formação da chapa e lideranças do MDB seguem causando mal-estar no grupo ao quererem ser tratados com privilégios.

5 – Obras mal feitas do DNIT, cujo diretor no Acre é aliado de Gladson, causam estragos na pré-campanha.

6 – Ser aliado do governo Temer prejudica Gladson Cameli na construção do seu discurso de mudança.

7 – O isolamento do pré-candidato ao Senado pelo MDB, Márcio Bittar, incomoda a oposição. Cada vez é menor a chance de voto casado dentro do grupo.

Flaviano, Jéssica e Gladson durante visita de Temer ao Acre

8 – Maioria dos deputados da oposição, como o próprio cunhado de Gladson, Nicolau Junior, declaram nos corredores da Assembleia Legislativa do Acre que apoiam seu colega deputado Ney Amorim rumo ao Senado.

9 – Líderes de partidos afirmam que Gladson se isola, não ouve ninguém e quando senta para conversar interrompe o interlocutor constantemente.

10 – Falta entendimento dentro da oposição e lideranças do MDB temem crescimento dos tucanos que têm representatividade na chapa tendo Rocha como vice.

Maior vergonha da oposição nesta pré-campanha:

Gladson Cameli afirmar que pessoas supostamente ligadas ao PT teriam vandalizado a aeronave dele em suposto atentado. Mas logo em seguida ao fato, setores da imprensa divulgaram fotos que mostram que os “vândalos” seriam os próprios apoiadores da oposição embriagados em cima do avião em Tarauacá.

Comentários

comentários