Servidor do Banco do Brasil denuncia que empresa Transacreana usa ônibus “podres” e sem segurança

0
Ônibus da Transacreana perde sistema de freio e saia pista na BR-364 deixando dezenas de passageiros feridos/Foto: Reprodução

O funcionário do Banco do Brasil, André Filgueira, que mora na cidade de Tarauacá, denunciou nesta quinta-feira (14) as péssimas condições de conservação dos ônibus da empresa Transacreana que fazem a linha Rio Branco/Cruzeiro do Sul usando a BR-364. Ele conta que os veículos são velhos, sem manutenção e até mesmo sem saídas de emergência para casos de acidente.

O desabafo de André veio horás após um dos ônibus da empresa apresentar defeito no sistema de freio, perder o controle da direção e sair da pista a cerca de 30 quilômetros de Manoel Urbano, na madrugada de terça-feira (12). Dezenas de pessoas ficaram feridas e tiveram dificuldades para sair do veículo.

“Ônibus sem ar-condicionado, com um banheiro podre, sem suporte para retirada das janelas em caso de emergência. Não é primeira vez que isso acontece e, mesmo assim, a empresa não toma atitude de fazer uma manutenção que preste em seus ônibus”, disse Andre.

André publicou imagens do acidente de terça-feira, onde dezenas de pessoas ficaram feridas e tiveram que quebrar as janelas para pode sair porque o veículo não tinha saídas de emergência.

“Falta de consideração em deixar os passageiros em baixo de chuva até às 6 da manhã e ainda divulgar que o ônibus teve somente um problema, sendo que na verdade, o ônibus teve problema na caixa de marcha em uma ladeira, e pra piorar teve problema no freio quando o ônibus descia de ré desgovernado, parando somente quando virou num barranco com todos dentro do ônibus. Graças a Deus ninguém teve ferimentos graves, mas essa não é a primeira vez que isso acontece”, diz.

Passageiros tiveram que quebrar janelas para poder sair, já que não tinha saída de emergência, conta passageiro

O servidor do Banco do Brasil denuncia, ainda, omissão de socorro por parte da empresa Transacreana. Ele conta que mesmo após saber do acidente, diretores da empresa não solicitaram ambulâncias para atender as vítimas, entre idosos e crianças.

“O mais grave foi que a empresa Transacreana, mesmo depois de saber do ocorrido, não solicitou nenhuma ambulância e nem deu assistência médica aos passageiros feridos no acidente, isso é uma tamanha falta de respeito com seus clientes”, desabafa.

A reportagem entrou em contato com o diretor-geral da Agência Estadual Reguladora de Serviços Públicos (Ageac), Wanderley Valente, que afirmou que o passageiro Ronaldo Oliveira denunciou a empresa junto à ouvidoria da Ageac e um processo será instaurado para fiscalizar as possíveis irregularidades nos ônibus das Transacreana.

“Processamos a reclamação do senhor Ronaldo Oliveira junto à ouvidoria e será instaurado processo para ser apurado o caso. Quanto aos ônibus que são todos velhos não procede. Este ônibus que se envolveu no acidente está com o processo de vistoria em dia, é um veículo devidamente revisado. Essa é a empresa que tem a frota mais nova no estado, problema é que a BR-364 não está em trafegabilidade razoável e isso debilitou a frota, fazendo com que o empresário não tem como repor os veículos”, conta o diretor.

Wanderley afirma que acidente acontecem, mas que o usuário que se sentir lesado pelo sistema de transporte no estado procure a ouvidoria da Ageac ou ligue para o telefone 0800-7102606 para realizara as reclamações.

A reportagem da Folha do Acre também tentou contato com representantes da empresa através do telefone (11) 971xxxx35, mas as ligações não foram atendidas.

Comentários

comentários