Polícia prende foragido suspeito de ter assassinado agente penitenciário no Acre

Perguntado sobre qual a motivação para o crime, o suspeito preferiu permanecer em silêncio. Agora a polícia busca identificar e prender os outros integrantes do bando

0
Suspeito seria líder de facção criminosa/FOTOS: Eudes Góes, e arquivo Folha do Acre

Diemerson Antônio da Silva, 19 anos, foi preso na noite do sábado (29), por uma guarnição do 5º Batalhão da Polícia Militar (5º BPM). Ele além de ser foragido da Justiça pelo crime de roubo, é considerado o principal suspeito de ter comandado uma ação criminosa no último dia 21 de fevereiro deste ano, quando cinco homens invadiram a casa do agente penitenciário Romário Alexandrino, 28 anos, e o executaram com vários disparos de pistola.

O crime aconteceu na Vila do V, município de Porto Acre. De acordo com a polícia, o suspeito continuava residindo na mesma vila, onde liderava a facção criminosa “Bonde dos 13”. No dia em que foi preso, Diemerson estaria em um bar e ao ver os policiais chegando teria tentado escapar do cerco policial pulando cercas e muros. Após acompanhamento ele acabou sendo capturado e foi conduzido à Delegacia de Flagrantes (Defla).

O sargento Walney, da Polícia Militar, afirmou que a prisão do suspeito é fruto de uma operação que vinha sendo realizada naquela comunidade.

“Há vários dias estávamos no intuito de capturar esse indivíduo. Ele tem participação na morte do agpen. Segundo relatos, ele que executou o homicídio. Ele chegou a reagir, pulou cercas, muros, causando a maior dificuldade para ser preso”, disse o militar.

Walney informou, ainda, que o jovem chegou a ameaçar quatro policiais da cidade, sendo três da ativa e um outro da reserva. Ele foi apresentado ao delegado de Polícia Civil, e em seguida foi encaminhado à penitenciária Francisco de Oliveira Conde (FOC), onde deve cumprir pena pelos crimes o qual foi julgado e está sendo acusado. A pistola utilizada por ele para tirar a vida do agente penitenciário não foi encontrada.

Preso foi conduzido à Delegacia de Flagrantes/FOTO: cedida por Eudes Góes

Comentários

comentários