Polícia não descarta crime passional no caso do motorista de Uber assassinado e queimado

0

A Polícia Civil do Acre ainda não chegou a um culpado no caso do motorista de Uber, Arthur da Silva Melo, 26 anos, encontrado queimado dentro de um veículo na Estrada do Quixadá, na última segunda-feira (30).

De acordo com o delegado responsável pela investigação, Rêmulo Diniz, a polícia trabalha com duas linhas de investigação, latrocínio e crime passional. A segunda hipótese ganhou forças nas últimas horas.

Ainda segundo Rêmulo, o caso é isolado e particular e não tem ligação com brigas entre facções criminosas que vem assustando os moradores do Acre.

A polícia aguarda o laudo técnico do IML sobre as causas da morte do jovem e depois poderá dar seguimento às investigações.

A polícia afirma que o corpo encontrado carbonizado dentro do carro deve ser mesmo de Arthur, já que ele está desaparecido e o carro em que trabalhava era do mesmo modelo do encontrado na cena do crime.

Comentários

comentários