Integrantes de facção que aparecem em vídeo segurando armas pesadas são de Cruzeiro

0

A Polícia Civil do município de Cruzeiro do Sul através de investigação que já dura cerca de duas semanas, já identificou pelo menos seis dos integrantes declarados de uma facção criminosa, que participam de um vídeo segurando armas longas e ameaçando integrantes de facções rivais.

A informação foi confirmada pelo delegado responsável pelas investigações, Elton Futgami na noite desta segunda-feira (19). No vídeo que causou grande repercussão nas redes sociais, é possível contar que pelo menos 14 homens, alguns deles encapuzados e outros de cara limpa, participam do vídeo gravado em uma região de mata. Também é possível contar que manuseiam 11 armas longas entre elas, três de grosso calibre aparentando ser fuzis.

Até o momento, a investigação já identificou seis dos participantes. Dois seriam fugitivos do sistema prisional e os demais já são velhos conhecidos da polícia. Entre eles também estão homens de naturalidade peruana. O local onde o vídeo foi gravado possivelmente seria em território peruano. Através do servico de inteligência, o delegado acredita que estejam mais precisamente na região de Pucalpa, em uma trilha utilizada para o tráfico da determinada facção em que participam.

“O vídeo provavelmente foi gravado para intimidar a facção rival e demonstrar o poder que eles detém daquele território que provavelmente é uma região de fronteira, utilizada como caminho para o tráfico de drogas. Nessa época de inverno, em que os rios estão trafegáveis e a chuva afeta os ramais limitando a ação da polícia, eles aproveitam para a prática deste crime e nós mesmo com as nossas limitações fazemos o nosso trabalho, faz parte das diretrizes de segurança.” disse Futgami.

Após todos serem devidamente identificados, o delegado deverá solicitar à justiça, mediante as provas e a apresentação do vídeo, os mandados de prisão referentes aos crimes de organização criminosa e outros crimes porventura apurados. Quando estiverem no Acre, pretende cumpri-los e devolver ao sistema penitenciário aqueles identificados que estavam foragidos.

Com informações da repórter Lilia Camargo

Comentários

comentários