Indígena é atacado por onça-pintada em Assis Brasil e é ferido na cabeça

0

O indígena Raildo Alfredo Manchineri, 43 anos, foi vítima de um ataque de uma onça-pintada na tarde de quarta-feira (4), na Aldeia Água Preta, Terra Indígena (TI) Mamoadate, no município de Assis Brasil, no Acre.

Segundo familiares, Raildo e seu filho saíram para caçar por volta das 13 horas quando foram surpreendidos por uma onça-pintada.

“A gente estava na espera de algum animal, é normal a gente caçar, quando menos esperei a onça atacou meu pai, foi tudo muito rápido, ela atacou a cabeça, os braços e a perna dele, eu peguei minha espingarda e efetuei um tiro nela, ela fugiu”, disse Manchineri, filho da vítima.

Raildo foi socorrido por familiares e na tarde desta quinta-feira (5) um helicóptero que atende na Aldeia o encaminhou ao aeroporto de Rio Branco. Uma ambulância do Samu foi acionada e conduziu o indígena ao Pronto Socorro em estado de saúde estável.

Localização e ambiente

Os Manchineri e os Yaminawá ocupam atualmente uma parte da região sul do estado do Acre no Brasil, uma área de extensão com 314 mil hectares e outros pontos no Peru e Bolívia. Em território brasileiro, os Manchineri são hoje um povo que se encontra espalhado na Terra Indígena (TI) Mamoadate e na TI Manchineri do Seringal Guanabara e, em menor número, no São Francisco e no Macauã, bem como na cidade de Assis Brasil.

A Funai criou a Terra Indígena de Mamoadate em 1975. O sertanista José Carlos dos Reis Meirelles Jr. foi o responsável pela transferência dos índios do seringal Guanabara, onde havia um conflito intenso entre extrativistas e donos de terras, uma vez que vastas áreas estavam sendo vendidas para pecuaristas latifundiários do Sul do país.

A TI Mamoadate situa-se ao redor do rio Iaco (cuja nascente fica no Peru) – tem início no Igarapé Mamoadate e vai até os limites do Brasil com o Peru.

Comentários

comentários