Fazendeiro reagiu a assalto e foi assassinado com tiro e facada, diz delegado

0

Em entrevista à reportagem da Folha do Acre na manhã desta sexta-feira (14) na Delegacia de Investigações Criminais no bairro Cadeia Velha, em Rio Branco, o delegado Odilon Neto, coordenador da Delegacia de Combate a Roubos e Extorsões (Dcore), informou que o fazendeiro Alessandro Picione Pacheco, 34 anos, vítima de um latrocínio na noite desta quinta-feira (13) no Km 4 da Estrada do Muntum, reagiu ao assalto e foi morto com um tiro e uma facada.

“Pelas características iniciais da nossa equipe de investigação, a suspeita é que teria sido um delito de latrocínio, já que inicialmente os dois autores chegaram anunciando o assalto querendo entrar para dentro da casa da vítima, para a subtração dos bens. Na ação os criminosos roubaram dois celulares. Infelizmente a vítima acabou reagindo e veio a óbito por um disparo de arma de fogo e lesão por arma branca”, disse o delegado.

Odilon, disse ainda, que todas as linhas de investigações já estão sendo analisadas.

“As investigações estão sendo feitas, estamos fazendo uma analise sobre a vida da vítima, todos os fatos de dívida, trabalho, sua linha de relação pessoal, profissional”, concluiu o delegado Odilon Neto.

Entenda o caso

O fazendeiro Alessandro Picione Pacheco, de 34 anos, morreu na noite desta quinta-feira (14), após ser baleado por dois assaltantes na entrada de sua residência que fica localizada no km 4 da Estrada do Mutum. A vítima estava com a mulher grávida e o filho de 7 anos. Eles tiveram apenas os telefones roubados.

Alessandro saiu pra jantar com a família na casa de uma amiga no bairro Tancredo Neves e quando chegou em casa com sua caminhonete já havia lá dois criminosos o esperando no portão. Ele teria reagido ao assalto e acabou sendo baleado pelos suspeitos que fugiram tomando rumo ignorado.

A vítima foi socorrida pela própria mulher que mesmo grávida de seis meses, colocou o marido dentro do carro com o filho e foi dirigindo até o Pronto Socorro, mas quando chegou no atendimento, Alessandro já não apresentava sinais de vida.

A Polícia Militar esteve no local dos fatos narrados e saiu em seguida a procura dos suspeitos. O caso foi registrado e deve ser investigado tanto pela Delegacia de homicídios quanto pela Delegacia de Combate à Roubos e Extorsões (Dcore).

Comentários

comentários