Condições precárias explicam fuga de 5 presos no presídio de Feijó, diz presidente do Sindapen

0
Apenados continuam foragidos/Fotos: Divulgação Sindap

No total, 05 presos fugiram da Unidade Penitenciária nº 05 (UP-05) na madrugada desta terça-feira (28). Em condições estruturais precárias, a UP-05, que funciona dentro do quartel da Polícia Militar do município de Feijó, no interior do Acre, tem capacidade para 20 presos, porém, comporta hoje um total de exatos 125 apenados. É o que afirma o presidente do sindicato da categoria, Lucas Bolzoni.

De acordo com o sindicalista, além da estrutura precária da unidade prisional, que possui uma edificação antiga e de fácil destruição, o presídio não possui muralhas ou guaritas externas, uma vez que parte do muro da penitenciária, que caiu há mais de 60 dias, continua sem reparação. Os presos utilizaram ferros retirados dos ventiladores e da própria estrutura do presídio para perfurar a laje e fugir pelo telhado.

Os foragidos, identificados como: Fábio da Silva Freitas, Leandro Meneses da Silva, André Nascimento Rodrigues, Roniel Magalhães Araújo e Carlos Tiago Lima, segundo apurado, integram uma facção criminosa e até agora não foram encontrados.

Muro de presídio não passa de 2 metros de altura e parte caiu há dois meses/Foto Sindap

No momento da fuga, somente 3 agentes faziam a guarda de 125 presos. O presidente do Sindapen, diz ainda, que o número é ilegal e inaceitável, pois as recomendações dos órgãos competentes como o Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária determina a proporção de 5 presos para cada agpen.

“No caso de Feijó, na última noite, o número proporcional era de 01 Agente Penitenciário para mais de 40 presos, um grave risco a que são submetidos os servidores, os apenados e a sociedade em geral”, afirma Lucas Bolzoni.

Comentários

comentários