Saiba das expectativas para 2019 – e o que vai impactar sua vida

0

Desbancando a Geração dos Millennials: a hora e a vez da Geração Z, ou NATIVOS DIGITAIS

Os Z, como são conhecidas, formam a nova onda de profissionais que estão chegando às empresas com características bem distintas dos outros grupos. Nativos digitais, esses jovens têm provocado mudanças importantes nas estruturas das empresas por terem conhecimento e mentalidade diferentes dos demais. Mais preocupados com a sustentabilidade, qualidade de vida, satisfação profissional e pessoal, esses jovens têm criado novas formas de trabalhar e auxiliados empresas a alavancarem seus negócios, justamente por terem outra visão.

Mentes criativas

Por ser uma geração que nasceu em meio à agilidade, os Z são ideais para realizar atividades que exigem velocidade, inovação e que sejam um tanto desafiadoras, já que esses jovens, quando instigados, se sentem motivados a dar continuidade a um projeto, por exemplo. Os desafios são, inclusive, essenciais para que esses trabalhadores se sintam estimulados e não mudem de área ou empresa.

Além disso, essa geração entende com facilidade a necessidade de constantes feedbacks, sejam eles positivos ou negativos, por isso são bem sinceros quanto às atividades desenvolvidas pelas empresas, o que agrada e muito as organizações. Aliás, por serem tão velozes nas opiniões e realização de tarefas, os Z costumam alcançar cargos de gerência mais fácil que os demais, pois as instituições entendem que eles sabem lidar melhor com a pressão, se relacionam bem com as pessoas e têm capacidade intelectual de desenvolver atividades que incentivam o avanço das empresas.

Em 2019, a Geração Z avançará e superará em quantidade os Millennials.

Os nascidos depois de 2001 serão cerca de um terço da população do planeta e um quinto de seus trabalhadores. “Sua energia e conhecimentos tecnológicos revolucionarão o local de trabalho e, pela primeira vez na história moderna, cinco gerações trabalharão lado a lado”, diz Michael Dell, CEO e presidente da Dell Technologies (sim, alguns representantes da geração anterior ao baby-boom ainda estão trabalhando, graças aos avanços da medicina e à crise financeira que afetou seus fundos de aposentadoria).

“Pesquisas com jovens de 16 a 23 anos revela que cada geração possui competências complementares e que os empregadores que aprenderem a aproveitá-las terão um futuro brilhante”. Qual é a visão de mundo dessa nova geração? “Acredito que essas pessoas colocam empenho em todos os aspectos de suas vidas”, diz a escritora best-seller Brené Brown. Cerca de metade da sua equipe é da Geração Z. “Essas pessoas são todas muito diferentes, mas como grupo, são curiosas, esperançosas, sempre aprendendo, sintonizadas com o sofrimento do mundo e ansiosas por fazer algo a respeito.”

Empresas precisam estar prontas para entender esse ritmo alucinado da Geração Z

Esse entendimento não pode ser visto como um confronto de gerações, levando em conta que essa atitude desconecta as pessoas e atrasa nossa evolução. O formato de estrutura funcional das empresas já mudou e o que estamos tentando fazer é correr atrás do prejuízo, pois essa geração atual está em constante transformação.

As empresas hoje são um SER VIVO, que requer ajustes a todo momento, necessitando de uma visão mais humana, não no sentido de benefícios e assistencialismo, mas sim no entendimento dos anseios sociais. Isso requer mudanças nas legislações trabalhistas e sindicais, pois perdem totalmente suas funções no ambiente evolutivo.

Não dependemos mais das estruturas físicas das empresas estamos “Mobile Business” e com isso a flexibilidade é muito mais produtiva em todas as esferas.

Hoje o ambiente de trabalho pode ser em cafeterias, home office, Skype, dentro do seu carro, ou seja, me qualquer luar. O que determina é o acesso e não mais o local. Já está sendo produzido hoje para que no futuro próximo as agências sejam totalmente mobile, podendo acessar tudo em nuvem e com acesso para todos os colaboradores independente da estrutura. Para um futuro bem próximo vemos uma empresa apenas com salas de reuniões e gestão de entrega. Sempre precisaremos do contato humano e esses ambientes vão favorecer essas interações frente às estruturas de departamentos.

Tecnologia não é apenas produto para consumo, são grandes revoluções que estão mudando nosso Status Quo, a maneira que olhamos é que nos faz evoluir.

Nesse ponto acredito que haverá uma grande revolução em 2019 e nas próximas gerações, já estamos passando por uma nova fase, que podemos chamar de “Fase Integradora” onde a acessibilidade a tudo é o passo seguinte e a tecnologia vira serviço e não produto. O exemplo mais claro hoje, é a banalização dos hardwares e a revolução que os aplicativos de filmes e séries estão fazendo com a TV, veja os pacotes das operadoras de celular onde mudaram de minutos para Gigas de acesso.

Essa integração tecnológica é tão natural e rápida que hoje praticamente tudo já está em nuvem e nem percebemos o grande salto que isso causou. A tecnologia banalizou até mesmo nosso conceito sobre consumo de tecnologia, e se você não estiver com sua mente aberta para essa mudança, com certeza você ficará parado no tempo e espaço evolutivo tecnológico.

Por: ADRIANO GONÇALVES
Prosperity Coaching

Comentários

comentários