Petista chama Bolsonaro de covarde, mas Jorge Viana usava colete à prova de bala

0

Desorganização

A desorganização do PSL regional da agenda de Bolsonaro no Acre no último sábado (1) foi gritante. Teve jornalista barrado na coletiva, vereador impedido de chegar perto do presidenciável, entre outros absurdos.

Não alinhou

A executiva estadual do PSL esqueceu de alinhar a agenda com a assessoria de Bolsonaro. O desastre na organização foi total.

Guerra entre petistas e defensores de Bolsonaro

Por falar em Bolsonaro, a vinda do militar ainda está rendendo assuntos para debates no estado. O porta-voz do governador Tião Viana, Leonildo Rosas, chamou o candidato de mentiroso e frisou que foi cedido segurança conforme a solicitação.

Reis

Outro que não se calou diante das provocações de Bolsonaro foi o secretário de Agricultura do governo do Acre, José Carlos Reis, que disse que se o candidato do PSL quiser metralhar petista é melhor estar preparado.

Covarde

Reis também criticou Bolsonaro por arrotar provocações, se dizer corajoso, mas usar colete à prova de balas. O secretário qualificou o candidato como “covarde”.

Jorge Viana também usou colete à prova de balas

Diante da provocação de Reis, o vereador de Rio Branco pelo MDB, Roberto Duarte Junior, relembrou que o senador Jorge Viana contou em entrevista que quando assumiu o governo do Acre em 1998 também optou por usar colete à prova de balas, e que por definição o petista também poderia ser enquadrado como covarde.

João Correia deixa MDB

Um das figuras mais tradicionais do MDB deixou a sigla. João Correia e a direção do partido entraram em uma espécie de acordo ao aceitar o pedido de dissidência dele.

Não expulsa

O MDB não tem essa cultura de expulsar militante e João Correia já não se sentia à vontade no partido desde que a sigla voltou atrás e retirou o apoio à candidatura de Ulysses Araújo.

Profundo conhecedor

Educado, inteligente e profundo conhecedor da política acreana, João Correia sai no MDB sem maiores atritos e defende um pacto de não agressão entre as candidaturas, especialmente as da oposição.

Em paz

As primeiras aparições de Marcus Alexandre (PT) e Gladson Cameli (PP) em horário eleitoral foram marcadas pela apresentação de propostas e não agressão. Ao que tudo indicam entenderam o recado da população que não aguenta mais baixaria.

Bom dia a todos

Comentários

comentários