Gladson forma time político improvável: progressistas, tucanos e os amigos de Marina Silva na mesma mesa

0
O encontro entre Gladson e Minoru foi intermediado pelo vice-governador Wherles Rocha

Samba do crioulo doido

O governo Gladson Cameli (PP) tem seguido um caminho inimaginável no campo das construções políticas. Está em formação uma equipe que é a versão do ‘samba do crioulo doido’ que mistura progressistas, tucanos e a turma da Rede de Marina Silva.

Quem imaginou?

Quem há um ano imaginaria que José Bestene (PP) fosse colocado de escanteio e Minoru Kimpara, ex-petista e pupilo de Marina Silva, ganhasse eventual apoio para ser candidato a prefeito?

Jonas Lima da atual gestão

José Bestene deve estar vivendo seu ‘inferno astral’ político. Ele é o Jonas Lima da atual gestão.

Luiz Tchê

O deputado Luiz Tchê (PDT) perdeu por não ficar calado durante a sessão de ontem. Na ânsia de defender o governo pelo desastre na gestão da saúde, comanda por Mônica Feres, o deputado jogou culpa no governo passado do qual ele era uma das lideranças.

Governos passados

Tchê afirmou que “os governos passados de vocês provocaram este caos” ao se referir a pacientes em macas pelo chão do Pronto Socorro.

Ele era parte

Governo de vocês? Governo dele também, pois o PDT ocupava lugar de destaque dentro do governo da Frente Popular, tendo inclusive, indicado Emylson Farias como vice na chapa encabeça por Marcus Alexandre em 2018.

Não é por aí, Tchê

Não deveria ser essa a linha de defesa de Tchê para pontuar questões do governo Gladson Cameli. Falta legitimidade a ele para fazer esta espécie de crítica, pois ele integrou as gestões passadas.

Coerência faz bem

Que ele escolha outra linha de defesa, pois o que lhe falta em legitimidade lhe sobra em inteligência e articulação.

Não deve ser fácil

Uma coisa é fato: não deve ser fácil ser líder do governo Gladson Cameli. A base se espatifou, Gladson anda às turras com aliados que antes parecia improvável romper como é o caso de Bestene e os secretários não colaboram como é o caso de Mônica Feres.

Unanimidade

Mônica Feres tem se mostrado daquelas pessoas que se tornam uma espécie de unanimidade. Não se vê ninguém que fale em ou simpatize com a mulher.

Fundamental

Tudo bem que não precisa ser a miss simpatia para gerir uma pasta como a Saúde, mas ser minimamente cordial é fundamental em qualquer área.

Oposição que gosta

Quem anda gostando de todas as brigas dentro do governo Cameli é a oposição.

Um coordenador político dos bons

Falta ao governo Cameli um coordenador político eficiente e que resolva pequenos incêndios com potencial de destruir todos da floresta.

Bom dia a todos

Comentários

comentários