Economista explica os efeitos do dólar na economia brasileira

0

Os efeitos do dólar na economia

Por Pablo Marques

Nos últimos dias, o aumento do dólar tem deixado muita gente preocupada, principalmente os empresários brasileiros que precisam importar matéria prima para produção. Suas compras e posteriormente suas dívidas, são fixadas em dólar, o que encarece o custo de produção e em consequência o preço final dos produtos, que na lógica, são repassados aos consumidores.

O aumento do dólar influência positivamente as exportações e negativamente as importações das empresas brasileiras. Isso acontece, pois as empresas exportam em real (R$) e importam em dólar (US$). Este efeito é evidenciado na Balança Comercial, que na quarta semana do mês de agosto, fechou com as empresas brasileiras exportando US$ 4,027 bilhões e importando US$ 3,586 bilhões, gerando um superávit de US$ 441 milhões.

Os efeitos do aumento do dólar podem ser verificados em vários ramos da nossa economia. Isso ocorre, pois, os empresários necessitam importar insumos para boa parte de sua produção, o que encarece os produtos quando o dólar estar em alta, influenciando diretamente no crescimento da inflação. Segundo o Banco Central, a meta de inflação para o ano de 2018 está em 4,5%.

Na alimentação, sofremos com o aumento do dólar referente aos produtos derivados do trigo (pão, biscoito, macarrão, massas, entre outros), isso acontece, pois o Brasil produz apenas 50% do trigo consumido internamente, os outros 50%, é importado em grande parte da Argentina e dos EUA. O resultado disso é que podemos ter nos próximos dias aumento no preço do pão francês.

Outros itens que sofrem reajustes com o aumento do dólar, são os produtos eletroeletrônicos (celulares, computadores, Vídeo Games, TV’s, etc), isso ocorre, pois boa parte desses produtos são importados, e os fabricados no Brasil (em especial na Zona Franca de Manaus), necessitam comprar insumos importados para atender suas fábricas, com o dólar em alta, encarece ainda mais o preço desses insumos, o que encarece a produção e eleva o preço final do produto.

O ramo de confecção também sofre com aumento do dólar, pois boa parte do custo de produção é oriundo dos tecidos importados. A indústria farmacêutica também é afetada, a produção de remédios é altamente dependente dos insumos importados.

A empresa automobilística, é outra que também sofre com o aumento do dólar, esse impacto pode ser menor ou maior, tudo vai depender do quanto as fabricas importam de insumos para produção dos carros.

Por outro lado, temos algumas vantagens com o aumento do dólar, as empresas brasileiras ganham competitividade em relação aos produtos importados que ficam mais caros o que é refletido no saldo positivo da balança comercial (exportação x importação) e o turismo brasileiro cresce, com o grande contingente de estrangeiros que escolhem o Brasil para passar as férias devido à desvalorização do real frente ao dólar.

Mas, e nós acreanos, como sofremos com o aumento do dólar?

Com o dólar em alta, os acreanos padecem em todos os níveis sociais. Uma parte da sociedade acreana tem suas viagens para Miami, os passeios nos parques da Disney, nas praias da Florida, as compras dos Ifones, ficando mais caros, reduzindo assim a quantidade de viagens internacionais e as compras de produtos importados. Os passeios de fim de semana para compras em Cobija fica desestimulado, pois os preços dos produtos na vila acompanham a alta do dólar. Grande parte da população acreana, infelizmente sofre ainda mais, como vimos o aumento do dólar influencia diretamente no custo da produção de vários produtos, e esse custo é repassado ao consumidor. Com os aumentos constantes do combustível, devido nossa localização geográfica, para que os produtos necessários (alimentação, vestuário, remédios entre outros) chegue aos nossos lares, sofremos com o custo do frete, que é elevadíssimo, sendo o mais caro do país, esse custo também é repassado ao consumidor. Como resultado pagamos o preço mais caro do país em alguns produtos.

Como foi possível perceber, o aumento do dólar afeta diretamente a economia de nosso país e de nosso estado, afetando assim diretamente nossas vidas. A partir de agora querido leitor do Folha do Acre, quando você ouvir que o dólar aumentou já vai ter informações básicas, do quanto o aumento do dólar afeta nosso dia a dia.

*Professor de Economia do Instituto Federal do Amazonas – IFAM

Comentários

comentários