Coluna especial: os bastidores da posse e a impressão da formação da equipe de Gladson Cameli

0
Gladson acena para público que está posicionado atrás de grades de contenção/Foto: Assessoria

Muda só a lona e alguns malabaristas

Após 20 anos debaixo do domínio do Partido dos Trabalhadores (PT), o Acre realizou simbolicamente, por enquanto apenas simbolicamente, sua alternância de poder. Mas ao que tudo indica a alternância não foi tão profunda assim. O poder se reinventa no Acre e os poderosos, de castas familiares, estão sempre se mantendo em cargos estratégicos. Muda-se a lona do circo apenas e as vezes alguns malabaristas.

Nada muda

A mudança estrutural de fato, de direito e legítima, só seria possível em uma nova colonização, ou mais dramaticamente em uma revolução. Enquanto as castas de famílias controlarem o PIB do Acre e financiarem eleições elegendo governos de coalisões com trocentos partidos como donos e locatários nada mudará. Absolutamente nada.

Déjà vu de enlouquecer

Ao ver circular velhos, literalmente velhas figuras do poder, como Narciso Mendes de Assis, José Bestene, Osmir Lima, os irmãos Ilderlei e Idelcleide Cordeiro em perfeita simbiose com Adelaide de Fátima, braço direito de José Adriano na Fieac, e alguns inescrupulosos operadores de esquemas financeiros dos governos petistas, na posse de Gladson Cameli, é como ter um Déjà vu. Não é tudo novo. É tudo de novo, novamente como se fora uma eterna repetição de uma batida melancólica capaz de enlouquecer os menos controlados.

Gladson empossa novos secretários de Estado

E o povo? Segue atrás das grades

Ledo engano achar que as castas de poderosos do Acre irão alternar o poder. Não o farão. São amigos de festas, sócios, alguns vizinhos por morarem nos mesmos residenciais de luxo como a Chácara Ipê. Até alternam o poder, mas entre eles mesmo e o povão continua atrás das grades de contenção que separam os bens nascidos daqueles que andam de chinelo de dedo, pegam ônibus lotados e teimam em sonhar com dias melhores.

Grades de contenção e o empreendedorismo de Tadeu Augusto

Por falar em grades se separação, é bom lembrar ainda que tais grades são devidamente guardada por segurança de dois metros como o competentíssimo Tadeu Augusto que, a propósito, é um homem de visão e enxergou imensa oportunidade de negócio ao oferecer segurança particular para “bacanas das altas rodas sociais” que não se garantem só com a segurança pública.

A assessoria de imprensa de Tião Viana no governo de Gladson Cameli

Meio mundo de jornalistas que serviram a oposição ficaram descontentes por verem entre os jornalistas do staf de Gladson Cameli figuras ligadas a imagens de lideranças petistas como o fotógrafo Marcos Vicente, o “Marcão”, que virou uma espécie de sombra do ex-prefeito Marcus Alexandre (PT) nos últimos anos; Reesley Saab, escriba predileto de petistas de alto escalão; Samuel Bryan, o “Menino do Tião Viana”. A presença desses nomes na assessoria de imprensa de Gladson Cameli causa estranheza.

Evandro, Floriano e Assem Neto

Impressão que se teve foi a de que se tinha chegado para posse errada ao notar a ausência de Evandro Cordeiro, Assem Neto, Floriano Oliveira e a presença da assessoria de Tião Viana pronta para servir com seu profissionalismo Gladson e Rocha. Confesso que respirei com alívio ao ver que ninguém tomou o cargo mais que merecido da Silvânia Pinheiro.

Ainda bem que Leonildo Rosas não conseguiu o cargo de Silvânia Pinheiro

Silvainia Pinheiro, secretária de Comunicação

Por um momento eu tive medo de que Silvânia Pinheiro, competente jornalista e fiel escudeira de Gladson Cameli, tivesse perdido a indicação para Leonildo Rosas pelo fato desse último ser servidor público. Ainda bem que não. Ufa! Do contrário, a alternativa seria a Bolívia ou chamar a Wânia para começarmos uma revolução não armada.

Salvo conduto para o competente Rutembergue Crispim que paira acima de ideologias partidárias

A respeito da equipe de comunicação de Gladson, existe mais uma ressalva a ser feita. Convite oportuno feito a Rutembergue Crispim. Rutem, como é conhecido pelos colegas, mesmo transitando muitíssimo bem na esquerda, é acima de tudo um profissional do mais alto gabarito e que possui um dom para networking. A capacidade que o rapaz possui para estabelecer conexões é algo surpreendente e digna de grandes profissionais.

Lilia Camargo do sonho de ser policial a assessora de imprensa da polícia

Lilia Camargo é a jornalista responsável pela comunicação da Segurança Pública. Parabéns a todos os envolvidos na indicação. Pior não poderia ter sido a escolha. Sem questionar o mérito de comunicação da moça, mas ela que nunca escondeu o desejo de ser policial não é a melhor opção para interlocução com a imprensa. Ela se comunica bem com os policiais, não com os jornalistas.

Tomara que ingresse na PM da próxima vez

Lilia Camargo que sempre protegeu policiais como se isso fosse um dever de vida ou de morte, imagina agora, tendo veneração pela profissão e não tendo passado no concurso da PM, ganharia mais se Rocha ao invés de tê-la indicado desse a ela uma bolsa para se qualificar e ingressar na tropa no próximo certame. Preparem-se para dias difíceis quem cobre a área policial, mas não esperem que aceitemos passivamente. Não o faremos.

Alessandro Silva precisa de oração

Rocha esqueceu que já foi jornalista e deixou o lado militar falar mais alto, além de optar pelo populismo também. Alessandro Silva, assessor de Rocha, admite que interviu na escolha. Eu já apelei para intervenção divina e peço as autoridades eclesiásticas que orem pela sanidade do bom garoto.

Emprego para todos

Quanto aos demais colegas citados é bom ressaltar que as observações não são pessoais, até porque o ideal seria que nenhum profissional qualificado ficasse desempregado.

Coronel Paulo César, secretário de Segurança

O boçal e o desavisado

A respeito dos secretários de Estado, o que tem a fama de mais ‘boçal’ é o de Segurança Pública, Paulo Cesar, mas de recomendada competência. O que parece mais desavisado é o Paulo Wadt, secretário de Produção e Agronegócio. Com aquela blusa amassada por fora da calça, parecia um primo terceiro de Petecão com Minoru Kimpara, ou seja, um desleixado intelectual que não faz muita ideia da teia de aranha tecida por velhos políticos onde caiu.

Israel Milani e o jeito de menino mimado

Israel Milani, secretário de Meio Ambiente

Israel Milani, filho da deputada Wanda Milani, é daqueles bem nascidos que não faz a menor ideia do que seja um ônibus lotado da Sobral às 17 horas e se conhece o Terminal Urbano é por fotografias. Cara de filhinho de mamãe, o moço faz caras e bocas ao olhar para a deputada Wanda e dá a impressão que irá cair no choro esperneando se alguém o contrariar.

Alysson Bestene: simpático ou alienado?

Alysson Bestene, secretário de Saúde, foi eleito por alguns jornalistas como o mais habilidoso e simpático. Na verdade eu creio que Alysson está sofrendo de uma alienação da realidade e a aparente felicidade do moço vem da ignorância de não fazer a menor ideia da ‘sinuca de bico’ em que se meteu ao assumir uma pasta falida e cheia de problemas.

Maria Alice

A secretária de Gestão Administrativa, Maria Alice, cota do MDB, é outra que parece que caiu de paraquedas ali sem saber exatamente como proceder. Medo dela abrir a boca e falar em Geraldo Fleming e não se dar conta de que estamos em 2019.

Rêmulo Diniz

Rêmulo Diniz

Entre os nomes mais técnicos e de bom preparo está o secretário de Policia Civil, Rêmulo Diniz. Competente e de resultados. Pareceu um tanto desorientado ao aparecer com uma bandeira do seu estado natal na hora da diplomação, mas tudo bem, coloca-se na cota da exagerada emoção fazer um ato daqueles em um estado bairrista como o Acre.

Mauro Sérgio

Outro nome extremamente qualificado dos novos secretários é o de Educação, Mauro Sérgio.

Novidades

Em breve trarei novidades sobre o ex-todo poderoso da saúde que casou com a ex-esposa de um Cameli e irá controlar algumas empresas, ao que tudo indica para operar dentro da Sesacre. Aguardem!

Bom dia a todos e que Deus proteja nossa saúde mental

Comentários

comentários