Bestene sai das sombras e acaba revelando obsessão pela presidência da Aleac

0

Saiu das sombras

Depois de atuar nas sombras durante os últimos meses, o deputado José Bestene, que chegou ao poder com uma sede insaciável, resolveu tirar a máscara “nem aí para a disputa da Mesa Diretora da Aleac” e declarou inconformismo com as notícias de que a eleição já foi costurada e falta apenas ser sacramentada dia 1° de fevereiro.

Claro como água límpida

Ao dizer que não há nada decidido para a eleição do dia 1°, onde após intermináveis reuniões ficou decidido que Nicolau Junior (PP) será o novo presidente, Bestene demonstra que não aceitou compor com a base do governo e, tampouco, está contente com a escolha do correligionário dele para o cargo.

Raposa velha

Bestene é o que chamamos de raposa velha na política por conhecer como poucos os bastidores, modus operandis e acordos tácitos. Ao não reconhecer o acordo prévio de escolha de Nicolau e reclamar de interferências externas, Bestene dá provas de que não reza a mesma cartilha de Gladson Cameli e que se rebelou antes da hora.

Desrespeito

Bestene, melhor que muita gente, sabe que, sim, o Executivo exerce força sobre uma decisão do Legisativo. Não respeitar o poder de articulação de Gladson Cameli é desrespeitar o governador de forma vil, tratando-o como amador em uma articulação que parece simples.

Vai oficializar?

Ao dizer que muita água ainda rolará debaixo da ponte até o dia da eleição, Bestene quer dizer exatamente o que? Que continuará, supostamente, tramando nos bastidores ou que oficializará sua sonhada candidatura?

Claro desde o início

Nem bem o nome de Nicolau Junior (PP) começou a ser ventilado como pretenso candidato à presidência da Aleac e a candidatura de Ghelen Diniz começou a conflituar com o outro progressista, um Bestene arredio se esqueirava pelos corredores da Aleac não querendo opinar sobre o assunto.

Outras motivações

Como ex-presidente do partido, ficou claríssimo que quando Bestene se esqueirava pelos corredores antes mesmo da diplomação, se esquivava a conversar com a imprensa e não opinava publicamente sobre o enfrentamentos dos correligionários, ficava claro que havia outros interesses.

Tirou proveito

Sempre pareceu que Bestene tirou proveito da rebeldia de Ghelen Diniz e torcia para ser a escolha do partido.

Não precisava nada disso

Ser candidato a presidente da Mesa Diretora da Aleac é um direto legítimo a Bestene, só errou ao não dizer isso ao governador de forma clara e fazer um jogo dúbio. Ele é proximo de Gladson Cameli o suficiente para dizer dos seus interesses.

Erro crasso

O experiente Bestene comete um erro crasso de achar que numa época de informação instantânea conseguirá jogar em dois tabuleiros sem ser pego no flagra.

Quem manda na Educação é a mulher do secretário, garante fonte

Informações de fontes seguras da Secretaria de Educação dão conta de que o secretário Mauro Sérgio não manda nem na vontade que sente volta e meia de ir ao banheiro. Quem manda em tudo, garante uma fonte do alto escalão da Secretaria de Educação, no secretário e na pasta da educação é a esposa de Mauro Sérgio.

Ingerência

Esta fonte, que ocupa um cargo de chefia dentro da estrutura da Secretaria de Educação, afirmou que é vergonhoso a ingerência da esposa de Mauro na pasta da Educação.

Sicoob

O Sicoob Acre está em franca expansão e inaugurou uma moderníssima agência em Brasiléia no último sabado (26)

José Generoso

O presidente do Sicoob Acre, José Generoso, é um exemplo de gestão de cooperativa de crédito e conhecimento do setor. Levou ao Sicoob a nível de reconhecimento nacional.

Lene Petecão no comando da Câmara

A vereadora Lene Petecão (PSD) é presidente em exercício da Câmara de Vereadores de Rio Branco.

Uma mulher no comando

Lene assume enquanto Antônio Morais (PT) virou prefeito no período de viagem da chefe do Executivo de Rio Branco, Socorro Neri.

Curiosidade a mil

A advogada Joana D´Arc Valente, chegada em um polêmica, fez uma postagem que deixou ouriçada boa parte da imprensa ao pedir que um ex-apresentador que gosta de usar um perfume chamo Uomini saia do armário, ou seja, assuma a homossexualidade. Até bolsas de apostas estão sendo feitas entre jornalistas.

Antônio Muniz

Muniz, apresentador da TV Rio Branco, foi logo deixando claro que prefere os perfumes importados. Muniz não perde uma piada ou o bom humor, mas se recusou a participar do bolão para saber quem usa o tal perfume.

Bom dia a todos

Comentários

comentários