‘Vai faltar água em Rio Branco’, diz sindicalista após greve por falta de pagamento do Depasa

0

Os prestadores de serviço do Departamento Estadual de Água e Saneamento (Depasa), que alugam equipamentos para o órgão, cruzaram os braços na manhã desta sexta-feira (14), anunciaram uma paralisação sem data final e alertaram que o abastecimento de água na capital será comprometido, sendo inevitável que falte água em vários pontos da cidade.

O vice-presidente dos Sindicato dos Transportes Autonômos (Sintraba), Adauto Pereira, afirmou que há mais de 4 meses o Depasa não realiza o pagamento dos prestadores de serviço.

O sindicalista afirma que com a greve dos prestadores de serviço que retiraram das obras equipamentos como caminhões, retroescavadeira e outras máquinas, serviços em andamento como os realizados na Cidade do Povo e Rua Pernambuco ficam comprometidos e sem data para conclusão.

“Esses são reparos de redes quebradas, como o que estava sendo feito na Rua Pernambuco, são para que se possa chegar água na parte alta da cidade e agora ficam paralisados e o abastecimento comprometido. Sentimos muito pela população, mas são pais de família que estão caminhando para o quinto mês sem receber e não tem mais como esperar”, diz.

Em nota, o diretor-presidente do Depasa, Moisés Diniz, reconhece a dívida, afirma que o órgão está investindo dinheiro em compra de produtos essenciais e garante que outros órgãos do Estado irão auxiliar para que não falte água em Rio Branco.

“Afirmarmos que respeitamos e reconhecemos como justa a greve dos empresários que alugam máquinas e veículos para o órgão. O não pagamento decorre da prioridade em utilizar todo o recurso da arrecadação para pagar produto químico, o que corresponde a R$ 2 milhões de reais por mês. Não haverá desabastecimento de água, pois o Depasa recorrerá a outros órgãos para auxiliar no serviço de transporte e manutenção”, frisou.

Servidores estão parados e obras comprometidas

Comentários

comentários