Greve: sindicalista diz que atual presidente do TJ não dialoga e nem valoriza servidores

0
Sindicalista comentam sobre a greve do Judiciário/Foto: Folha do Acre
Sindicalista comentam sobre a greve do Judiciário/Foto: Folha do Acre

A desembargadora Denise Bonfim foi eleita, por unanimidade, a nova presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Acre, na manhã de sexta-feira, 9, na sede do judiciário. Além da nova presidente, o pleno elegeu o desembargador Francisco Djalma e Valdirene Carvalho como vice-presidente e corregedor geral de justiça do Estado, respectivamente.

Enquanto isso, no mesmo prédio, servidores do judiciário acreano continuavam a greve que já se estende por 60 dias e tem tudo para se tornar a maior já feita pelos servidores no Estado. Até então, a paralisação de 2012 tinha sido a maior com 61 dias.

O presidente do Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário do Estado do Acre -Sinspjac, Rangel Araújo, falou das expectativas com a nova presidência do Tribunal de Justiça.

“A categoria espera que a nova presidência tenha sensibilidade e equilíbrio para conduzir as negociações com o movimento grevista e que tanto os novos gestores da Justiça acreana quanto os servidores em greve possam encontrar um caminho próspero para todos”, declara.

greveDe acordo com Quenffren Rêgo, diretor administrativo do Sinspjac, a atual presidente não dialoga, muito menos valoriza a categoria.

“Ontem, por exemplo, em pleno feriado do Judiciário, aconteceu a inauguração da Estátua da Justiça e a entrega de selos para o Tribunal sem a presença dos servidores grevista, ou seja, ela não quer que aparecemos na mídia”, criticou.

A desembargadora Denise Bonfim, recém-eleita presidente do Tribunal de Justiça do Acre, disse que vai dialogar e buscar um entendimento com o movimento grevista.

“Juntos com meus pares, pretendo sim, o mais rápido possível, resolver esse impasse com os servidores”, disse.

Por Marcio Souza

Comentários

comentários