Arena Acreana passa por revitalização e será sede da Copa do Brasil

0

Inaugurada em 2006, a primeira arena multieventos da região Norte, a Arena Acreana, depois de anos sem reparos, passou por um processo de revitalização nos últimos meses, garantindo ao público a continuidade dos eventos esportivos com maior conforto, segurança e acessibilidade a pessoas com deficiência. A obra foi garantida pelo Governo do Estado, através da Secretaria de Estado de Infraestrutura (Seinfra) e custou o equivalente a R$ 1,2 milhão.

Entre as intervenções foi feita a manutenção e troca de assentos da arquibancada, correções em paredes com infiltração, reparos no sistema hidráulico, elevador, instalados alambrado, corrimão, revisão do sistema de proteção a descargas atmosféricas, recuperação de gramado e implantados espaços que garantem a acessibilidade a pessoas com deficiência.

“Nosso objetivo com a revitalização é garantir a segurança, a tranquilidade do torcedor e a acessibilidade a pessoas com deficiência que antes enfrentavma algumas dificuldades para se locomover no espaço. Cumprimos as principais exigências do Ministério Público com base no Estatuto do Torcedor e, semana que vem, vamos estar organizando um ato simbólico para apresentação dessas melhorias no estádio, que vai acontecer durante a realização do jogo entre Galvez e Vila Nova de Goiás, na Copa do Brasil deste ano”, explicou Thiago Caetano, secretário de Assuntos Estratégicos do Estado.

Com capacidade para 20 mil pessoas, o estádio tem 34 mil metros quadrados equipados com refletores modernos e um gramado natural de alta tecnologia sistematizado para irrigação e drenagem. Além disso, o espaço dispõe de bilheterias, boxes de lanchonetes, vestiários, banheiros, cabines, salas de imprensa, 16 caixas d’água e um estacionamento com capacidade para 3 mil veículos.

“Nós temos um patrimônio público grande que representa o coração do esporte no estado e não podíamos deixar continuar se deteriorando. Desde que foi construído, a Arena nunca tinha passado por uma intervenção como essa, podíamos perder o espaço e muita coisa precisava ser feita para continuar servindo de palco para os grandes eventos e servindo como espaço de lazer aos acreanos”, finalizou Caetano.

Secom

Comentários

comentários