Talento da terra: conheça o jovem cartunista Jailan Souza

0

Recebi, na sede da Academia Juvenil Acreana de Letras (AJAL), o jovem cartunista Jailan Souza, que concedeu uma breve entrevista a este Colunista. Eu o conheci em um encontro de jovens superdotados, na Uninorte, e lhe fiz o convite para nos falar um pouco sobre o seu trabalho.

Nascido na mesorregião de Boca do Acre, no estado do Amazonas, Jailan Souza da Silva reside com os pais em Rio Branco há cerca de quatro anos. Aos 16 anos, ele cursa a segunda série do Ensino Médio no Instituto Federal do Acre (IFAC) e já possui um relevante número de tirinhas produzidas manualmente.

“Meu hábito de desenhar começou, aproximadamente, aos três anos de idade, logo que descobri o desenho. No começo, eu rabiscava em páginas vazias dos dicionários, em razão de ter poucos cadernos disponíveis. Mas, depois de um tempo, fui proibido de usar os dicionários, então passei a desenhar em outros lugares”, conta.

Jailan relata que, atualmente, tem voltado sua atenção às artes visuais, e que os recentes quadrinhos produzidos são frutos de um projeto pessoal, chamado “Experimentações”, em que ele busca novas formas de abordagens, inspirado por cartunistas como Angeli (ganhador do Prêmio Vladimir Herzog) e Laerte Coutinho, ambos da Folha de São Paulo, incluindo na seleta lista também o cartunista argentino Liniers, através dos quais, segundo ele, “se alfabetizou”.
“Algumas tirinhas que produzi falam de temas como a depressão, focando no lado sentimental da nossa realidade. Não é necessariamente uma crítica social ou algo do tipo, e sim o retrato do ser humano diante de alguns problemas emocionais”, ele explica.

Além de cartunista, o jovem artista também escreve textos literários, entre eles, alguns poemas. Jailan enfatiza que aprofundar a sua experiência como Escritor foi uma necessidade para o aperfeiçoamento de suas tirinhas.

“Se o texto do quadrinho contiver erros ou, simplesmente, não possuir um mínimo de qualidade, não existe a menor chance do desenho ter algum aproveitamento.”

Jailan diz ter aprendido essas e outras técnicas de produção de cartuns assistindo a entrevistas de cartunistas renomados, por meio de um processo autodidata, típico de jovens com Altas Habilidades/Superdotação, tal qual ele é. Enfatiza, no entanto, que ainda não chegou à plenitude que deseja para o seu trabalho.

As altas habilidades de Jailan foram identificadas pelo Núcleo de Atividades de Altas Habilidades (NAAH/S) há dois anos. Inicialmente, a habilidade observada pelo Núcleo foi a de escrita, a partir de uma redação que ele produziu e que chamou a atenção da escola onde estudava. Até então, segundo o mesmo, ninguém sabia de seu talento como cartunista, mas, logo após a descoberta, seu resultado positivo em altas habilidades acabou sendo voltado para o desenho. Não há, porém, como negar que o jovem secundarista possui talento em ambas as áreas.

O termo “altas habilidades” pareceu causar em Jailan certo desconforto. Questionado, ele explicou que realmente não gosta do termo, visto que lhe parece ser “pretensioso” dizer que possui superdotação. A sua explicação, todavia, não me causou nenhuma surpresa. É comum entre os jovens com altas habilidades não gostarem de ser rotulados pelo título, e, sendo Jailan um jovem possuidor de inúmeras virtudes e admirável humildade, não poderia ser diferente. Mas não é verdade que exista qualquer pretensão em dizer que o mesmo é altamente habilidoso, e sim realismo.

Os trabalhos produzidos por ele são dignos de imediato investimento por parte das autoridades educacionais e culturais do nosso Estado, podendo você mesmo conferi-las logo abaixo:

Comentários

comentários