Sindmed aciona MPE para evitar falta de médicos em hospitais públicos do Acre

0

Diante do risco iminente de falta de médicos em quantidade suficiente para atender o Hospital de Base e outras unidades, haja vista que os contratos emergenciais chegaram ao fim e muitos aprovados no concurso simplificado são estudantes que sequer assumirão suas vagas, o presidente do Sindmed-AC, doutor Murilo Batista, buscou intermediação da Promotoria Especializada de Defesa da Saúde para que seja construída uma saída para evitar a sobrecarga de trabalho para alguns profissionais e que não seja prejudicado o atendimento ao público.

Diante da questão colocada por Murilo Batista de que pode haver furos nas escalas e unidades inteiras ficarem prejudicadas, o Ministério Público do Estado (MPE) ofereceu garantias ao Sindmed-AC de que a situação será resolvida sem prejuízo aos médicos.

De acordo com representantes do MPE, a Secretaria de Saúde ofereceu garantia de que pagará os plantões extras aos médicos dos contratos emergenciais e que estudará uma forma de que não haja desabastecimento de serviço.

“O que o MPE nos oferece é a garantia de que a secretaria assinará um documento garantindo que pagará os plantões extras, porque muitos colegas têm medo de tirar esses plantões e não receberem. O que eles garantem é que se esses plantões extras forem feitos, independente da prorrogação dos contratos emergenciais, eles serão regiamente pagos. Vai ser feito ainda um estudo sobre a desassistência, fazendo uma comparação sobre aqueles que vão tomar posse e os que vão sair para ver o déficit e se estudar uma forma específica desse ponto para um possível novo emergencial. Será uma pactuação formal entre MPE e governo”, diz doutor Murilo.

Comentários

comentários