Empresa envolvida em desvio milionário da BR-364 já havia sido denunciada pela Folha do Acre em 2018

0

A Polícia Federal divulgou o nome da empresa envolvida no esquema de corrupção dentro do Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte de Rondônia (DNIT/RO). Trata-se da empresa LCM Construção e Comércio que atuava na pavimentação da BR-364 em Rondônia e Acre.

LEIA MAIS:

Empresas LCM e CCL, contratadas pelo DNIT para executar obras da BR, podem ter sonegado mais de R$ 7 milhões em impostos

Empresas LCM e CCL têm obras da BR embargadas em Sena, são acusadas de sonegar milhões em impostos e crimes ambientais e minerais

O esquema envolve empresa e consórcio que executavam serviços de pavimentação asfáltica, além de agentes públicos. Com as prisões, a polícia evitou um desvio ainda maior de recursos públicos que ultrapassariam a casa de R$ 12 milhões de reais, segundo relatório da Controladoria-Geral da União.

Além de servidores do DNIT, a polícia prende funcionários e engenheiros da empresa LCM.

A LCM atuou no Acre na recuperação da BR-364, entre o trecho de Sena Madureira a Cruzeiro do Sul. Em 2018, o jornal Folha do Acre chegou a publicar reportagem que denunciava suposta sonegação de impostos por parte da empresa.

Na época, a LCM estava impedida de executar serviços no Acre por causa de obras embargadas no município de Sena Madureira por estar atuando sem licença de operação e certificação de uso de solo. Em um levantamento divulgado pelo site, a empresa era suspeita de ter sonegado cerca de R$ 7 milhões de impostos ao Estado do Acre e União.

Comentários

comentários